Pages

sábado, 19 de março de 2011

Filho do Noblat descola quase R$ 1 milhão na Lei Rouanet, igual a Maria Bethânia

A cantora Maria Bethânia teve um projeto cultural aprovado pela Lei Rouanet, no Ministério da Cultura, que a autoriza a captar R$ 1,3 milhão em deduções do imposto de renda das empresas para produzir 365 vídeos declamando poesias, e veicular na internet em um blog.

A Lei Rouanet precisa mudar, e sua aplicação também em alguns casos. A política cultural de fomento, como regra, deveria privilegiar muitos projetos culturais baratos, ou que empregue muita gente, em vez de concentrar altos valores em poucos artistas consagrados como Maria Bethânia. Não cabe esse tipo de mecenato com características de concentração de renda, para gente consagrada, outros com pistolão em empresas privadas, outros com projetos comerciais, disputando dinheiro dos impostos com o povo sofrido.

Mas o assunto não envolve só Maria Bethânia.

Todos nós temos o direito de questionar esse valor para esse projeto da Bethânia, menos o blogueiro de "O Globo", Ricardo José Delgado (Noblat), que anda zoando do caso, tendo um enorme telhado de vidro na família.

O filho do blogueiro, André Scatrut Noblat, é vocalista da banda de rock Trampa, de Brasília, e também arrancou R$ 954 mil dos cofres públicos, através desta mesma Lei Rouanet, para "realizar concertos da banda de rock com uma orquestra sinfônica...".

O "talento do prodígio" comoveu a Vale S.A., que achou mais importante aplicar quase R$ 1 milhão no patrocínio à banda de rock, do que recolher este dinheiro aos cofres públicos na forma de impostos que iriam para saúde, educação, segurança pública, erradicação da pobreza, etc.

Foram R$ 154 mil, na primeira tacada, e R$ 800 mil na segunda tacada.

Clique nas imagens para ampliar










Além da Vale, o Grupo Brasal (da família do ex-deputado do DEMos Osorio Adriano), contribuiu com R$ 10 mil de impostos que deixaram de ser recolhidos para virar patrocínio.

Leia também:
- Mudança na Lei Rouanet fará um reforma "agrária" no latifúndio da cultura
- iFHC dá calote pela 4ª vez no Ministério da Cultura. Valor envolve R$ 5,7 milhões.
- Abusos na Lei Rouanet: Armínio Fraga e o anúncio do Bradesco na Globo

41 Comentários:

Anônimo disse...

Espero descobrir quem nasceu primeiro, se os incentivos fiscais ou as trampas.

Como dizia o saudoso filósofo Stanislaw Ponte Preta: ou nos locupletemos todos ou restaure-se a moralidade.


Edemar Motta.

VERA disse...

É RE-VOL-TAN-TE!!! Será que a Dilma sabe disso??? Sou assalariada e como recebo de fontes distintas, sou obrigada a pagar, com juros e multas o imposto que seria retido, se recebesse de uma mesma fonte! No ano passado, ia pagá-lo em 8 meses, mas, ao receber uma graninha extra, decidi, uma semana após pagar a cota de abril, pagar o restante!!! Este ano veio a conta: 19 reais de multa, pela semana entre a primeira cota e o restante!!! Enquanto isso, o governo PRODIGAMENTE DOA MILHÕES do nosso suado dinheirinho aos PARASITAS VAGABUNDOS que nem precisam!!! Se ao menos fosse para a multidão de miseráveis do País, eu não me importasria de pagá-lo!!! Espero que algum assessor da Dilma leia seu blog para saber o que está acontecendo, e tome providências, do contrário, passarei a votar no PSOL!!!

X-MAN disse...

Enquanto isso os brasileiros são explorados com o absurdo do preço do alcool que já chega proximo do preço da gasolina. Outro mistério, por que pagamos preço internacionais se somos autosuficientes?

Ary disse...

Sim, e o "filho do Raul (Léo) está envolvido com a máfia dos caça-níqueis". E daí? O Blog esperou um aval do Noblat para se manifestar sobre a trampa da Maria Bethânia.

VERA disse...

Cobrei uma reação da DILMA, mas não desejo a volta da DEMO-TUCANALHA ao poder nem pintados de ouro!!! Eles são MUIIITO PIORES!!!

H.Pires disse...

A imunda e podre direita que odeia as "coisas" públicas, "tem que vender", se "apropria" das.... "coisas" públicas(grana principalmente). Eles nada tem a ver com guerrilheiros da honra e da defesa da Pátria. Eles são os carniceiros da venda e da destruição da Nação. No entanto, o "douto" filho desse cidadão noblat, ainda vai ser um "togado" a mais nos tribunais, precisa dessa verbinha para, em são paulo, pagar os "módicos" 3,00 reais, da tarifa de onibus, ofertada pelos carniceiros da direita psdb/dem/globo.

Anônimo disse...

O QUE ESSE NOBLAT INVENTOU DA DILMA NA CAMPANHA,O BLOG DELE ERA UMA PAGINA DE CAMPANHA DO VAMPIRO E DE PERSEGUICAO A DILMA. ELE É UM FALSO MORALISTA ,BANDIDO E TAMBEM GOSTA DE UMA MAMATA!!!

Zé Augusto disse...

Caro Ary,
Acho que você ainda não entendeu como funcionam blogs. Eles não são portais que contém centenas de repórteres, com capacidade para cobrir todos os assuntos.
A informação é em rede, e cada um cobre os assuntos que consegue e que está melhor informado.
Os leitores ganham, porque ficam melhor informados, quando os blogs trazem informação e pontos de vista novos.
Se um assunto já estava massivamente abordado em outros blogs como o caso da Bethânia no Nassif e outros, e a gente não tinha nenhuma informação nova a acrescentar, não tem sentido ficar só copiando e colando. Quando tem informação ou ponto de vista novo, a gente acrescenta.

Ary disse...

Ok, Augusto. Mas eu sei como funcionam os blogs. Bom findi.

Sonia disse...

Macaco senta no rabo para falar do rabo dos outros.

Yacov disse...

O Nome do bando já diz tudo: "TRAMPA". Uma corja de mamadores do $$$ público. Não vão dizer que é dinheiro para vagabundos, como dizem do Bolsa Família também, hipócritas?!?! Uma banda de rock... Se fosse um conjunto de chorões ou sambistas da velha guarda, vá lá, mas uma banda de rock que não chega à altura da sola dos sapatos de um Paralamas do Sucesso ou de um Titãs?!?!? VERGONHA TOTAL!!! E mais vergonha ainda para a VALE, que não investe um centavo em siderúrgicas e fica exportando minério de ferro a preço de banana para os chineses. Puáááhhh!!!!!

"O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo - O que passa na glObo é um braZil para TOLOS"

Yacov disse...

Tem cheio de troll aqui dizendo que isso aí é "conta" da eleição e querendo culpabilizar a DILMA por este "empréstimo"... Deixem de ser otários. A Lei Rouanet não é da DILMA. Ela não dá pítaco nisso aí, não. O Legislativo é que tem de mudar esta aberração. Que não passa de uma grande teta para artistas renomados e outros nem tanto, fazerem esta esbórnia. Se a Bethânia quisesse, faria como os blogueiros, montaria o seu blog e a cada dia faria a gravação de uma poesia disponibilizando-a. Precisa de milhões para isso??? Não!! E este bastardo do filho do NOBLAT... Que importância teria o som de uma sinfônica para acompanhar o som de alguns guitarristas desconhecidos e barulhentos???? Se ao menos fossem os Beatles... E vão deixar o seu "troll-ló-ló" no blog do King Azedo, trolls miolo-mole.

"O BRASIL PARA TODOS não passa na glObo - O que passa na glObo é um braZil para TOLOS"

Anônimo disse...

Pilantra e hipócrita!

armando do prado

josé lopes disse...

A gritaria contra o blog de Maria Bethânia é uma mistura de ignorância, preconceito e mau-caratismo.

Ignorância, porque parte de idéia absolutamente falsa de que os produtores do blog – que pretende exercer a tarefa vital de divulgar a poesia – recebeu ou vai receber este dinheiro do governo. Juro que tenho saudade do tempo em que se lia fato ou ficção, hoje o que mais há são equívocos e mentiras, que não são um nem outro. O fato é que a única coisa que os produtores do blog receberam do governo foi a autorização para se humilhar, pedindo a empresários, de porta em porta, que considerem a possibilidade de, ao invés de entregar parte de seus impostos ao governo, patrocinar, com a vantajosa exposição de suas marcas, um blog de uma extraordinária artista brasileira, blog este que tem como objetivo divulgar a poesia, não há tarefa mais nobre. Nada garante que os produtores do blog terão sucesso em sua jornada de mendicância entre a elite empresarial brasileira, frequentemente iletrada. O mais provável é que consigam apenas uma parte desta verba e tenham que redimensionar o projeto, o que seria uma pena. Na minha opinião, o governo brasileiro deveria tirar do seu caixa o dinheiro (1,3 milhões de reais, uma ninharia perto da roubalheira do Detran gaúcho, dos pedágios paulistas, da máfia do governo Roriz/Arruda no DF, etc, etc...) e entregar para a Maria Bethânia, junto com um buquê de rosas e um cartão, pedindo desculpas pela confusão.

Continua...

josé lopes disse...

Continuação

Preconceito contra a internet, porque – como muito bem lembrou o Andrucha, na Folha: "Se fosse documentário ou filme para ser visto por cinco mil pessoas no cinema, ninguém estaria reclamando. Parece que internet não é um meio válido. Lá [no blog], os vídeos vão ser vistos por milhões, e de graça”. A distinção que alguns ainda fazem entre os meios cinema, televisão e internet seria engraçada se não fosse um empecilho ao desenvolvimento do país. Preconceito também contra os nordestinos, nas críticas sobram piadas contra os baianos, quase todas vindas do mesmo gueto branco direitista no enclave paulista, enfim, os eleitores de Kassab e Serra, gente que lê e cita a revista Veja e beija imagens de santo para ganhar voto e acha que poesia é "uma besteira".

Continua

josé lopes disse...

Continuação...

Mau-caratismo, porque a “polêmica” criada pela notinha da Mônica Bergamo assanha, para variar, o furor udenista que almeja – e obtém – manchetes moralizadoras. “Eu sou melhor que você”, gritam o lobão e também os três porquinhos, unidos em sua santa cruzada. Um publicitário engraçadinho – mais um – fez um blog que lhe garantiu seus 15 minutos de fama, espinafrando a Bethânia. "Criei o blog porque não recebi uma bolada do MinC e achei injusto", comenta o pândego. Pergunta: era para ser um piada? Ele pediu algum dinheiro ao MinC? Em caso afirmativo, apresentou algum projeto? Qual seria? Com que objetivo? As críticas e piadinhas sobre o caso me fazem lembrar de uma das considerações de Hamlet, matutando se vale a luta ou é melhor acabar com a agonia: “o achincalhe que o mérito paciente recebe dos inúteis”. (Na tradução do Millôr.)

Chega a ser constrangedor ter que relembrar aos mais jovens que Maria Bethânia é uma das maiores artistas brasileiras de todos os tempos. Seus incontáveis discos e shows são um valioso patrimônio nacional, seu trabalho de divulgação de dezenas de compositores brasileiros ao longo de sua carreira são uma herança que ela deixa ao Brasil. Bem vale alguns barris do pré-sal. Talvez tenham sido os show de Bethânia, lá nos anos 70, meus primeiros contatos com a poesia de Fernando Pessoa e também com a prosa-poética de Clarice Lispector. Vai aqui, a ela, meu muito obrigado.

por Jorge Furtado em 17 de março de 2011

josé lopes disse...

A confusão está formada. Por isso eu digo que os meios de comunicação estão mais a favor de desorientar do que informar. E, essa notícia contra o blog da Bethânia é uma prova disso. Aí, pessoas crédulas acreditam em tudo o que a mídia divulga capciosamente. Tem gente que não aprende mesmo.

Ontem fui a uma clínica oftalmológica e a médica entrou nesse assunto sobre a verba para a Bethânia. Eu perguntei: "Governo estadual? Ela respondeu: "Não tem a ver com a Dilma.

Não acreditando e, sem outras informações entrei na Internet assim que cheguei em casa e fui pesquisar. A primeira coisa que encontrei foi um vídeo no You Tube com um imbecil, cara de drogado, chamando a Bethânia de vagabunda. Horrível. Como é que um medíocre daqueles posta no You Tube uma mensagem daquelas mentirosas e estupidamente mal informada? Enfim tem louco prá tudo. Só depois de pesquisar mais um pouco descobri o que de fato era. Não tem nada de ilícito nisso.

petista até debaixo d'agua disse...

Zé Augusto, o filho no Noblat se explicou.
Até por uma questão de bom senso deverianos publicar as explicações dele. vai abaixo as explicações, publicada a pouco no blog do Noblat....

Enviado por André Noblat - 19.3.2011| 20h52m
Cultura
Meu nome é André Noblat. Ricardo é outra pessoa

A polêmica sobre a Lei Rounet e a utilização irresponsável do meu e do nome da minha banda em blogs e outros meios das redes sociais, me obrigam a entrar no debate.

Primeiro: sou a favor da Lei Rounet. Mas acho que ela deve ser reformulada. Para dar mais oportunidades a iniciativas culturais que estão fora do eixo tradicional, fora do mainstream, fora do óbvio e fora das regiões mais ricas do país.

Esse é o caso do projeto Trampa Sinfônica, idealizado pelo maestro Silvio Barbato e executado em Brasília em 2008.

Contemplado pela lei de incentivo cultural, o Trampa Sinfônica está enquadrado no quesito de inovação e relevância cultural. É um projeto único no país.Promove o encontro da música erudita com o rock. Há quem goste ou não, mas isso é uma questão de cada um.

Ao contrário de muitos projetos aprovados na Lei Rounet, o Trampa Sinfônica não visa lucro.

No projeto realizado em 2008, minha banda não recebeu cachê algum. O show foi gratuito. Parte da verba do projeto foi destinada a levar jovens da periferia de Brasília à assistirem um espetáculo no teatro. Pela primeira vez.

Cerca de 40% dos assentos foram reservados para esse público! A verba foi toda investida na realização do evento.

Resolvemos levar o espetáculo para outras capitais. Vamos repeti-lo nos mesmo moldes: gratuito, com acesso privilegiado ao público da periferia. Mas dessa vez receberemos cachê.

Para deixar bem claro: captamos 800 mil reais para realização de quatro espetáculos (Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo). A banda, que tem cinco membros, receberá 10 mil reais por show e pagará impostos sobre isso.

Ou seja, cada um de nós receberá menos de 8 mil reais pelas quatro apresentações. Toda a planilha do projeto é pública e o que digo pode ser conferido no site do Ministério da Cultura.

É forçar demais a barra comparar o Trampa Sinfônica com o projeto do Blog da Maria Bethânia.

Com todo o respeito à cantora e ao seu produtor. Mas, só o que os dois vão receber juntos é quase o total do que captamos para o Trampa Sinfônica.

Ricardo Noblat é meu pai. Não se mete na minha vida. Muito menos eu na dele.

Meu nome é André Noblat, tenho 31 anos de idade, sou jornalista, militante filiado ao PT há dez anos e músico.

Vamos separar as coisas e se manifestar com mais responsabilidade.

Em tempo: segue o vídeo da apresentação do Trampa Sinfônica no Teatro Nacional de Brasília sob a regência do maestro Silvio Barbato.

Zé Augusto disse...

petista até debaixo d'agua,

Não há bom senso nenhum em publicar as explicações dele, porque ele apenas confirma o que dissemos: ele e sua banda pegaram quase R$ 1 milhão de impostos públicos, através da Lei Rouanet.

Não tem nada de ilegal, mas veja que é tão esquesito que ele mesmo acha que tem que se explicar.

É no mínimo questionável que seja uma boa política pública cultural gastar tanta grana pública com apenas uma banda de rock pouco conhecida.

E as milhares de bandas de garagem brasil afora, que ralam por aí?

Essa história de "sem fins lucrativos" não me sensibiliza.

Então porque não foi tocar de graça sem pedir dinheiro público? A explicação é contraditória.

Ele diz que a planilha de custos é pública, mas não está no site do MEC, ele não dá o link, e nem publica.

O fato dele se dizer "petista", em vez de melhorar as coisas, piora. Fica queimando a imagem do PT ao misturar política partidária com projeto cultural incentivado com dinheiro público.

Zé Augusto disse...

Errata: Site do MEC=MinC

Rafael disse...

Jornalistas são uma merda mesmo, vejam:

Não há bom senso nenhum em publicar as explicações dele, porque ele apenas confirma o que dissemos: ele e sua banda pegaram quase R$ 1 milhão de impostos públicos, através da Lei Rouanet.

Resp: É isso mesmo, não há nenhum bom senso em publicar o outro lado da história mesmo que confirme adicionando outros fatos.

Não tem nada de ilegal, mas veja que é tão esquesito que ele mesmo acha que tem que se explicar.

Resp: (Esquesito não existe). E a linha de raciocínio continua fenomenal: quem se explica tá errado, não é nenhum tipo de defesa contra manchetes insensatas em blogs enviesados ou tentativa de atrair gente e/ou outras opiniões em batalhas jornalísticas de bloggeiros visivelmente imbecis.

É no mínimo questionável que seja uma boa política pública cultural gastar tanta grana pública com apenas uma banda de rock pouco conhecida.

Resp: Minimalista nem um pouco, né? Ao que me parece é um projeto de 4 shows que ambicionam unir Rock à Música Erudita, coisa já feita muito fora mas pouco aqui. Me parece também que não se sabe o custo de um show qualquer, ainda mais um que deve movimentar cerca de 50 músicos, estrutura de palco, luz e som, uma casa de show, divulgação e etc.
Ah sim, não se deve gastar mesmo dinheiro com bandas pouco conhecidas, mas citando o senhor: "...em vez de concentrar altos valores em poucos artistas consagrados como Maria Bethânia." Eu acho que eu tirei de contexto, né?
Última coisa nesse trecho: Sei que isso é encarado como grana pública e não um jeito de enxugar a máquina cultural tirando do governo a responsabilidade de organizar, produzir e abraçar todos os artistas levando o endereçamento de impostos a produtores culturais, artistas e mobilizadores para que eles façam isso. O que deve ser encarado é que a Maria Bethânia e o Trampa estão fazendo o Brasil passar fome, morrer em hospitais e não educando as pessoas. Tenha dó, pelo amor de Deus!

E as milhares de bandas de garagem brasil afora, que ralam por aí?

Resp: Sim, e elas? Quantas tem projetos, que por mais que sejam aprovados não conseguem ser captados? Nem sempre empresas acham que é uma boa misturar nome a um "grupo de rock barulhento", creio eu, boa parte pelo preconceito tem sido dito escrito

Essa história de "sem fins lucrativos" não me sensibiliza.
Então porque não foi tocar de graça sem pedir dinheiro público? A explicação é contraditória.

Resp: Meu Deus! Quando eu li isso, eu tive que rir. Você, sinceramente, acha que uma coisa elimina a outra?
Como eu havia dito antes, não existe tal coisa do "sem custo". Espetáculo no Brasil é coisa que cai do Céu, artista tem que tocar de graça, as pessoas que trabalham envolvidas com cultura tem que trabalhar de graça, faxineiros, iluminadores, carregadores, operadores de som, levantadores de palco, produtores, entregadores de filipetas, carregadores, transportadores e etc. também! Fazer um evento gratuito de uma banda pequena com uma orquestra sinfônica que tem como público alvo juventudes de periferia e atrair patrocinadores de iniciativa privada no Brasil também é facílimo!

Ele diz que a planilha de custos é pública, mas não está no site do MEC, ele não dá o link, e nem publica.

Resp: Se não tem no site, não é pública!

O fato dele se dizer "petista", em vez de melhorar as coisas, piora. Fica queimando a imagem do PT ao misturar política partidária com projeto cultural

Resp: Não piora. Sabe o que piora?Jornalista sem senso crítico ou mente analítica que escreve sem pesquisar, lança manchetes estúpidas e inflamatórias contra um alvo injustificado por causa de ranço contra outros jornalistas bem sucedidos que têm opiniões fortes não-partidárias e, ainda por cima, é autorizado em um blog petista.
Também sou petista (eleitor) mas foda-se. Sei que você não representa o partido que trouxe o meu país para o rumo da moralidade.

Atenciosamente,

Rafael disse...

Errata: "dito e escrito."

Perdão pela formatação do texto e pelo tom irônico de várias partes do texto, mas creio que como bom jornalista, entenderás a mensagem.

Edson disse...

Os dois estão errados...
O MinC e a ministra Ana Hollanda estão retirando dinheiro público que poderia ir para a educação ou saúde ao permitir que as empresas envolvidas deixem de recolher os impostos... um absurdo... e pasmem. este blog parece apoiar... a esquerda do Brasil está caminhando a passos largos para a direita??

Zé Augusto disse...

Edson
Eu só apoio projetos culturais com dinheiro dos impostos que gerem inclusão social, trabalho e renda, como apoiar artistas sem recursos da periferia. São projetos de pequeno valor e que emprega muita gente ganhando pouco, como os pontos de cultura.

Outros tipos de apoio, como a chamada industria cultural para fazer filmes, livros, musicais, etc, poderia ter financiamento como existe para industrias, agricultura, etc.

O estado também precisa proteger a cultura que é importante para preservação da identidade nacional mas não é lucrativa, como museus, bibliotecas, folclore, etc.

Zé Augusto disse...

Rafael
Apontamos a incoerência do Noblat (pai) de zoar com a Bethânia, quando ela e o filho dele usufruem da mesma lei e da mesma política cultural. Não tem outro lado da história nisso que conserte. O resto é critica à Lei Rouanet que vale tanto para a banda como para Betânia.

Se o filho do Noblat quis explicar no blog do pai, é decisão dele, eu não vou ficar recortando e colando o blog do Noblat. De qualquer forma, aqui nos comentários está o texto da resposta que o "petista até debaixo dagua" postou.

Se você não acha esquisito uma banda relativamente nova conseguir quase 1 milhão da Vale, você vive num mundo fora da realidade brasileira, porque em geral só quem tem pistolão muito forte consegue.

Eu defendo gastar dinheiro de impostos a fundo perdido só com artistas pouco conhecidos, de baixa renda e à margem da indústria cultural. Os 1 milhão dessa banda e da Bethania deveriam ser aplicados em muitos artistas e bandas da periferia, para terem pontos de cultura lá, e terem oportunidade de gerar renda com música, e não apenas trazer gente da periferia para ver e bater palmas.

"Sem fins lucrativos" continua não me sensibilizando. Se essa banda não consegue faturar comercialmente com ingressos e cachê, não deve querer fazer shows caros às custas dos impostos públicos, ainda que com ingressos gratuitos. Rale no underground começando com shows pequenos e na raça, cresça e apareça, com os próprios músicos carregando o som e fazendo tudo. O Legião Urbana e tantas outras bandas começaram e cresceram assim.

Quer queira, quer não, esse tipo de projeto acaba disputando verbas dos impostos com a saúde, educação, etc. Os únicos casos que seriam justificáveis seriam os voltados para artistas de baixa renda da periferia, justamente para tirar-lhes da pobreza e dar-lhes trabalho. Quem é de classe abastada, que se vire na industria cultural, o Brasil não pode ser um pais capitalista só para o operário, o lavrador.

Se não querem mostrar a planilha de custos, não mostrem, mas não fiquem fazendo proselitismo de uma transparência que não tem, dizendo que é público. Se querem ser transparentes, já que o dinheiro é público, publiquem.

O blog nunca foi instância do PT. O que existe é afinidade natural pelo PT ser o grande partido de massas da esquerda no Brasil, o partido levou às transformações no bom governo Lula. Mas continuo achando desastroso usar a filiação partidária em meio a argumentos para coisas que nada tem a ver com partidos.

Anônimo disse...

Queria é que divulgassem quem são os artistas que conseguiram as maiores verbas.

A Lei Rouanet não deveria servir para ninguém ganhar tanto dinheiro.

E não adianta essa conversinha de que é apenas autorização para conseguir patrocinadores. Afinal, os valores captados são deduzidos do IR, ou seja, é a população que paga a conta.

É dinheiro público que deixa de ir para outras áreas, como: educação, saúde, segurança, etc.

Os assalariados trabalham de graça quase 04 meses por ano para pagar IR.

Não acho certo artistas consagrados conseguirem tanto dinheiro, enquanto os que ainda não são conhecidos do grande público não são beneficiados.

Além disso, artistas consagrados também são os primeiros a conseguir dinheiro de bancos e empresas públicas (e não é pouco não).

Utilizam recursos públicos para a implantação dos projetos, depois cobram da população e ficam com todo o lucro.

É uma pouca vergonha, não é à toa que ostentam tanta riqueza.

Iara

Anônimo disse...

Esqueci de incluir no comentário anterior:

Quanto ao filho do Noblat, não vou entrar no mérito de sua defesa, mas não entendi porque faz questão de dizer que é filiado ao PT há dez anos (resolveu se filiar em 2001...).
Penso que a filiação não deve servir de base para ataques ou defesa com relação ao assunto discutido.
A filiação não assegura a ele, nem a ninguém, o direito de obter verbas através do Ministério da Cultura.

Iara

Petista até debaixo d'agua disse...

Zé Augusto.

Eu li a resposta que vc deu ao meu comentario.Vou dar a minha opinião.

1)- Essa lei tem que ser modificada, do jeito que está não dá.

2)-Ana está meio perdida como ministra do MinC.A impressão que deu, que queria favorecer Maria Bethania.

3)- Os dois casos são iguais.Os dois pegaram dinheiro do mesmo jeito.

4)- o Andre filho do Noblat deu a explicação dele, achei legal ele dar, acho que Bethania poderia fazer o mesmo, até agora não o fez, não sei pqe. Quem falou foi Ana Hollanda.

5)-Noblat estrapolou nas criticas que vinha fazendo a Bethania,alias vem estrapolando nas criticas que fez ao governo Lula e agora ao governo Dilma.
Tudo é pretexto p/ criticar o governo, até nas coisas mais sem importancia.
Dessa vez caiu do cavalo, quem pagou o pato foi o filho, que se beneficiou da lei.
E não adianta o Noblat ficar dizendo que não criticou a Bethania ou o governo como ele está dizendo no twitter, criticou sim e, sempre critica.

6)- O Estranho como eu disse acima que Bethania até agora não falou nada. Mas o mais estranho é que o falastrão do irmão dela Caetano Veloso tb não falou nada. Gostava de criticar o Lula, falar que o Lula era iletrado,grosso etc e tal, está muito caladinho. Defendeu Chico sobre o Jabuti, não vai defender a irmã?????? muito estranho.

6)- Quero dizer que gosto muito da Bethania, pra mim a melhor cantora da MPB.

7-)Zé Auguto quero parabeniza-lo por trazer esse assunto aqui, como trouxe o do mensalinho do Noblat, Arthur Virgilio certa vez. Tem que mostrar mesmo. Isso só veio a publico pqe vcs aqui trouxeram, pqe senão nós nunca iamos ficar sabendo.

8)- Zé Augusto, continue trazendo as coisas. temos que saber, até para diferenciar uma coisa da outra e saber, quem é quem.

9)- Agora, o dia mais feliz vai ser qdo pegar um outro, ahhhhhhh, esse sim.
Abraços e bom domingo.

Anônimo disse...

essa do filho do Noblat receber 800 mil reais pela Lei Rouanet da Vale do Rio Doce cheira muito mal...
Parece que a vergonha na cara esta desaparecendo. Quem pagaria para ver esses shows ou poesia da Bethania? Porque essas criaturas nao investem em coisas que realmente poderia beneficiar a sociedade?
Poderiam criar escolas de musica para talentos da classe pobre, so como exemplo...Preferem fazer essas coisas que nao tem valor nenhum para um povo que e carente de tudo.
Pouca vergonha!!

Ariston Cardoso disse...

A ficha ainda não caiu para a quase unanimidade dos frequentadores da internet, inclusive eu que ainda nada entendo, mas leio a maioria dos assuntos que me interessam. Se é livre expressar, quero acreditar que o sistema que não só existe no Brasil mas em todos os países do mundo, objetiva usar a democracia para manter o poder de enriquecimento familiar e de grupos, num esforço muito grande para aliviar a vida do pobre desgraçado, nunca porém visando solucionar todos os problemas, tampouco permitir nivelar o salário do trabalhador em todas as classes, inclusive e principalamente a classe política que existe e sobrevive da classe trabalhadora que vota e é dona de direito do político que inverte a situação tomando-lhe a cela, jogando-o e arrastando-o ao chão amarrado ao rabo da besta. O Brasil mostrou que não quer moralizar o seu regime de governo amado e conservado como faz o Ahmadinejad e agora o carrasco Kadafi e nós brasileiros seguimos a mesma trilha, só que melhorada.

Yacov disse...

Quantas salas de cinema poderiam ser construídas com essa grana??? Quantos teatros, centros culturais??? Penso que a Lei Rouanet deveria favorecer realmente, projetos culturais mais abrangentes e inclusivos não figuras consagradas, que tem muito mais facilidade de captar grana junto a instituições privadas sem lançar mão deste artifício. Mas se raposa pode entrar no galinheiro e pegar umas galinhas gordas e indefesas, porque é que vai caçar, não é mesmo!?!

"O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo - O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS"

Rafael disse...

Zé Augusto e outros:
Ao que me parece, não é incoerência do pai, uma vez que são duas pessoas diferentes. Parece que o filho tem 31 anos, é adulto e vacinado. Os pecados do pai não se extendem ao filho e vice-versa. Nem menciono as negociações duvidosas da empresa do filho do Lula para não jogar lenha na fogueira. Se quiserem atingir o Ricardo Noblat por algum tipo de picuinha de posicionamento, fiquem à vontade, mas trazer elementos exógenos para essa briguinha é, no mínimo, imaturo.
Uma coisa é 1 milhão e 300 mil reais para a Betânia recitar poesias, mesmo que seja todos os dias, pois o cachê seria 3500 reais por dia aproximadamente.
Outra coisa é um projeto de união de rock e música erudita constituído de 4 shows, que segundo ele, cada integrante da banda vai receber menos do que a Betânia por no máximo 5 minutos de recitação diários. Sem mencionar os músicos de orquestra e o Maestro em si.
Não entro no mérito de artista pequeno, artista grande, pistolinha ou pistolão, aprovando projetos no MinC. Até onde sei, não é difícil aprovar projetos pela lei Rouanet, o problema em si é a captação de recursos. Se o projeto é muito bem feito ou mal feito, se o cara é o Zé Carioca da lábia e consegue convencer esses inocentes donos de multinacionais a abrirem mão de seus impostos em prol da cultura, ou se ele apontou uma arma e conseguiu, também não sei. Mas sabe o que sei? Que ninguém aqui também sabe! Por isso é uma discussão infeliz, má informada, inflamatória e aleatória. Um artigo buscando demonizar artistas que tiveram uma felicidade de levar um espetáculo raro a algumas cidades, em custo de muito esforço, para atingir um colunista! Pra mim, isso é está no mesmo nível de xingar a mãe.
Também acho que a Lei deve ser reformada. Acho que privilégios são ridículos, principalmente quanto se tratam de artistas de "major" gravadoras ou labels, que já são auto suficientes, ou ainda, milionários, tais como os grandes vitoriosos em captação pela Lei Rouanet para sustentar suas turnês não gratuitas, muitas vezes de preços astronômicos (não citarei nomes, mas são grandes artistas de MPB, Sertaneja e outros ritmos tão mais populares do que o rock). Porém não acho que o caso se aplique. E também acho que se não fosse a contemplação da Lei Rouanet e da Vale do Rio Doce, muitos não veriam o espetáculo, pois essa banda teria que galgar o underground, até poder ser uma dessas pertecentes a um catálogo de gravadoras grandes, e aí sim, poder fazer um evento dessa magnitude (talvez...). Não vou discutir questão de talento ou relevância de tal projeto ou outro, importância histórica ou não. Eu, particularmente, acho ridículo alguém (quem quer que seja) ganhar 3561 reais diários para declamar 1 poesia no conforto de sua casa, sendo que o custo é ridículo.

Continua...

Rafael disse...

Pegarei mais um trecho aqui:
"Se essa banda não consegue faturar comercialmente com ingressos e cachê, não deve querer fazer shows caros às custas dos impostos públicos, ainda que com ingressos gratuitos."

Bicho, essa meritocracia no meio musical que você acha que existe, não existe. E outra, como assim você acha que pode delimitar o que um artista deve querer ou não?

"Rale no underground começando com shows pequenos e na raça, cresça e apareça, com os próprios músicos carregando o som e fazendo tudo. O Legião Urbana e tantas outras bandas começaram e cresceram assim."

Você acha, sinceramente, que esse projeto é a única coisa que esses caras fizeram? "Eles têm um milhão de reais agora!" Como se isso não fosse gasto pra implementação de um projeto cultural e sim, pra desfrute. Você não acha que eles fazem shows carregando tudo no underground, muitas vezes pagando pra tocar como é a realidade de vários artistas independentes brasileiros, seja qual for o âmbito?

"Quer queira, quer não, esse tipo de projeto acaba disputando verbas dos impostos com a saúde, educação, etc."

É isso mesmo! Não existe destinação de verba pra cultura! Foda-se a cultura! Quem precisa disso, né? Esse foi um dos maiores non senses que eu já vi escritos e foi muito repetido aqui no blog. Quando vai dinheiro pra cultura, seja como for, não deixa de ir pra saúde, combate à fome, segurança, transporte ou educação não! Orçamentos existem pra isso, endereçamento de verbas. Você, José Augusto, como escritor, jornalista, colunista ou o quer que seja, deveria medir a responsabilidade que você tem ao proferir uma senhora merda desse tamanho. Simplicidade de pensamento é uma coisa, mas o senhor é um formador de opinião, e particularmente, como eu tenho visto nos comentários, você está demonizando uma categoria trabalhista, os artistas, em troca de pentelhar um outro colunista.

"Os únicos casos que seriam justificáveis seriam os voltados para artistas de baixa renda da periferia, justamente para tirar-lhes da pobreza e dar-lhes trabalho."

Não concordo. Acho que todo tipo de tentativa de democratização de cultura, seja a baixa-renda espectadora ou protagonista, é válida. O acesso à cultura é um problema tanto quanto à produção de cultura e continuo achando que o senhor está sendo enormemente minimalista na sua perspectiva do processo cultural.

"Quem é de classe abastada, que se vire na industria cultural, o Brasil não pode ser um pais capitalista só para o operário, o lavrador."

Sabe o que acontece então? Só ricos tocam nos grandes meios de comunicação apenas perpetuando um ciclo que existe há alguns bons anos. Mas é isso que já acontece. O Brasil é um país que alija bastante talento devido a interesses capitalistas. Como proposta, eu achei meio redundante frente à realidade brasileira.

"Se não querem mostrar a planilha de custos, não mostrem, mas não fiquem fazendo proselitismo de uma transparência que não tem, dizendo que é público. Se querem ser transparentes, já que o dinheiro é público, publiquem."

Rapaz, que tipo de jornalista é você? Vá atrás! Não é porque não tá no site que não é público! Achei que entenderia a ironia no comentário anterior.

Só para concluir, devo dizer que não adianta colocar instâncias da sociedade uma contra a outra por causa de leis malfeitas. O dinheiro que vai para a cultura não está deixando de ir pra qualquer outro lugar. Mas mesmo se acontecesse, o que acontece nunca foi falta de dinheiro mas sim má administração de recursos nos níveis da burocracia e implementação de itens do orçamento geral. O que acontece são licitações feitas de maneira escusa com empresas suspeitas em tantos níveis que beira o inimaginável. O que acontece é o clientelismo e fenômenos de pagamento de propinas que levam muito mais que os 2 milhões conseguidos por esses artistas, envolvendos partidos amados e odiados por esse blog.
Não vamos demonizar artistas por favor.

Tô de Olho Malandragem. disse...

Ricardo Noblat apoiou evento na frente do Minc na sexta feira última (18/03/11), em repúdio ao apoio recebido por Maria Betânia.
Apoio louvável não fosse por este pequeno detalhe do filho dele.

http://todeolhomalandragem.blogspot.com

Anônimo disse...

Mandaram um troll para defender o filho do Noblat?

Morais disse...

Este Noblat é um cínico, pois bombardeou este assunto da Maria Betânia no twiter direto se fingindo de bobo como se seu filho não tivesse mordido uma grana tipo ela também, ou seja ele pode mas os outros não podem, é muito hipócrita.

Rafael disse...

Anônimo,

Você acabou comigo. Estou desmoralizado. Não brinco mais.

Anônimo disse...

Cade meu rivotril e meu lexotan??? Porque depois do que li aqui acho que preciso me medicar!!!

Hoje neste dia tao bonito, fiquei com uma puta vontade de falar um monte de merda:

1- Cultura infelizmente esta ligada a entretenimento

2- Entretenimento esta ligado a consumo
(Consumo nao esta ligado a lucro ou rotacao financeira)

3- Para atingir qualquer publico eh preciso um produto de qualidade e com a minima estrutura de marketing ja pre-planejada. (Cara acho super valido os meninos da periferia fazendo seus projetos pueris, e as bandinhas de garagem fazerem seus lindos showzinhos nos pubs bostas da vida, mas o dia em que uma bandinha de garagem ou os meninos da periferia conseguirem lotar um teatro nacional, ou terem uma gama de mais de 200.000 hits em um blog... Bicho, me espanca com uma vassoura e me chama de "nancy", porque eu acho que isso nao vai acontecer any time soon).

4- Acredito eu, que o objetivo de qualquer projeto cultural eh... hummm... deixa eu ver se me lembro... ai ta dificil... calma ae... AH EH.... Promover acoes culturais... ufa!!! Quase nao acerto essa.

Momento dialogo interno:
- Cara, vc n detesta quando tem um puta evento grande, daqueles que vc ve aquele bando de banner com logo no Ministerio da Cultura, Balao da Petrobras e o caralho a quatro e vc olha pro lado e ve ... TCHAN... quase ninguem!!!
- Eh cara, eu queria mesmo era ouvir o paralamas ou titas que sao realmente bandas fodas, ou sei lah… o cine (pffff). Mas eu acho chato mesmo qdo eles pedem o kg de alimento. (bigorna na testa... ou piano caindo na cabeca… ainda nao decidi o que eh mais grafico)

5 – Infelizmente para se fazer um evento ou acao, na area cinematografica, teatral, musical ou lalalalala… que consiga de fato atingir um publico consideravel ( e quando digo atingir, me refiro a formacao de publico e nao paleativos para dizer que ainda existem investimentos sendo feitos no setor cultural brasileiro) vc vai precisar de: PAM PAM PAM… financiamento. (E nao estou falando de 10.000 reais p um palquinho ferrado e meia duzia de artista peroba se apresentando para 2000 pessoinhas, mas estou insanamente me referindo a um evento que de fato desperte o interesse do publico e mova a sua bundinha preguicosa ateh o evento…. OU MELHOR… que ele tenha acesso da telinha do pc dele). TCHAN

6 – "Oh meu deus, mas uma banda de rock esta tirando a oportunidade de outros grupos artisticos brasileiros... e bah... quem gosta de rock?!" Bem, rock'n'roll soh eh o terceiro genero musical de maior consumo mundial, looogo!!!

AAAH mas que bobagem a minha, eu quase me esqueci o porque eu preciso de 3 mg de rivotril… eh que eu fiquei muito deprimida por que eu percebi que aqui nesse blog, investimentos no setor cultural brasileiro e roubo de cofres publicos sao sinonimos. Vixi…. Deixa eu ficar quietinha entao. Vou desligar o clipe de “Haiti” da banda trampa, tirar o cd da Bethania do som e esperar que os investimentos na area de saude me entretenham na radio enquanto eu estou presa no transito indo p casa. “Olha… a voz do brasil esta comecando!!! Eu ateh gosto do “guarani”, mas quem me dera existisse um grupo que fundisse a bela expressao musical erudita com um bom rock…” Epa!!!

Anônimo disse...

Caralho nunca li tanta bosta num só Blog.

Primeiro me dá raiva um bando de velho sentando na frente de um PC falando um monte de merda sobre cultura sendo que esse mesmo bosta nunca se levantou pra fazer PORRA NENHUMA a favor da cultura brasileira.

Pra começar, quanto vocês acham que custa transportar, organizar e fazer o som de uma orquestra sinfonica?

Esses mesmos velhos que ficam reclamando de incentivo à cultura nunca pagaram 10 reais para entrar em um show, só pagam 100 pra ir no show da Maria Rita ou 200 pra ir no show do Caetano.

A Cultura musical brasileira está indo de mal a pior, precisamos de uma nova roupagem, precisamos de algo novo.

Ai quando uma PUTA banda que nem o Trampa consegue um grana pra divulgar o seu trabalho e enriquecer a cultura brasileira, vem um monte de BOSTAS que nunca fizeram PORRA nenhuma pela cultura brasileira fazer o que fazem melhor, defecar pela boca.

Anônimo disse...

FALTA IR ATRÁS DA CUFA-DF!

Milton & Os Lagartos disse...

Parabéns pela matéria!!

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração