Pages

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Serra nos EUA no período da Operação Condor

O jornal Folha de São Paulo, de domingo, disse que enviou um enviado especial à Bulgária para "investigar" os antepassados de Dilma Rousseff.

Se o enviado fosse ali perto, na vizinha Romênia, talvez encontrasse traços da linhagem de José Serra, na região da Transilvânia...

Mas deixando a piada de lado, vamos ao que interessa:

O que importa mais ao leitor de um jornal?

Saber sobre o próprio José Serra, principalmente de seus supostos estudos nos EUA que, para ele, o faz "o mais preparado", ou buscar ancestrais longínquos de Dilma na Bulgária, terra natal de seu pai, mas que ela nunca teve maiores vínculos, pois nasceu, cresceu e viveu toda sua vida no Brasil?

A decisão da Folha seria como procurar parentes distantes de Serra na Itália, ou, quem sabe, na Transilvânia.

Mais interessante do que isso, é um episódio que instiga a curiosidade de qualquer jornalista: Como José Serra saiu foragido do Chile com o golpe que derrubou Allende em 1973, e foi encontrar as facilidades de morar com a família justamente nos EUA, o país que mais apoiou o golpe?

Seria natural Serra se exilar em países europeus, ou no Canadá, ou países socialistas. Mas não nos EUA de Richard Nixon e Gerald Ford, ainda mais com Henry Kissinger com o porrete na mão, conduzindo a política externa.

Os EUA eram ferozes aliados incondicionais das ditaduras latino-americanas até o fim de 1976. Só houve mudança de posição com a posse de Jimmy Carter em 1977.

Como e em quais circunstâncias levaram Serra a escolher viver o "american way of life" entre 1973 e 1976?

Como Serra conseguiu o green card nos EUA? Como ele se sustentou lá? Como ele conseguiu estudar nas caras Universidades estadunidenses? Ainda mais sem ter o diploma de Bacharel em Economia? E quem pagou essa conta, já que ele diz que o pai não era rico?

Neste período, entrou em ação a famigerada Operação Condor que eliminava, com assassinatos, líderes da oposição às ditaduras militares.

A Folha deve uma reportagem sobre esta singela curiosidade que a nação brasileira tem o direito de saber, e Serra foge do assunto.

Seria a tese de Serra neoliberal, para subsidiar as privatizações do governo Pinochet?

Outro mistério é o conteúdo da tese de Serra "Some aspects of economic policy and income distribution in Chile, 1970-1973" (Alguns aspectos da política econômica e distribuição de renda no Chile).

Seria uma tese neoliberal, da "Escola de Chicago" de Milton Friedman?

As teorias da "Escola de Chicago" inicialmente embasaram a administração econômica da ditadura de Pinochet no Chile na década de 1970, com os "chicago boys", antes mesmo de serem adotadas, na década de 80, por Margaret Thatcher na Inglaterra e por Ronald Reagan nos EUA.

Seria Serra um "chicago boy", usado para fazer estudos que instruíram o governo de Pinochet nas privatizações chilenas?

É preciso lembrar que no governo FHC, Serra foi um autêntico "chicago boy" no Ministério do Planejamento, quando colocou em prática sua fúria privatista neoliberal e de estado mínimo.

O blog procura o paradeiro desta tese, para fazermos o sacrifício de ler e ver se Serra foi um "Chicago Boy" já naquela época, como se suspeita, ou se só tornou-se um deles durante o governo FHC.

Serra, que deveria se orgulhar de sua obra acadêmica, parece imitar FHC no estilo "esqueçam o que escrevi", porque não divulga sua tese em nenhum lugar na internet.

Quem souber do paradeiro, favor encaminhar ao blog.

Leia também:
- O mistério da fuga de Serra para os Estados Unidos
- Procura-se! Além do diploma, a tese do Serra.

21 Comentários:

Malú disse...

Mas você acha que a Folha se interessa pela vida do Serra? Nem pensar! Investigar a vida do Serra é crime, da Dilma é um favor à humanidade, para a Folha, é claro. Parece que há apenas um candidato a presidente, a Dilma, pois só se interessam pela vida dela. Periga o investigador enviado à Bulgária sair de lá com uma quente e duas fervendo. A Bulgária adora a Dilma, vive pedindo entrevista a ela e lá já dizem, com muito orgulho, que ela será a primeira presidenta bulgara.

Mauro Silva disse...

Caros amigos
Os arquivos da "redentora" foram convenientemente destruídos, na parte dos "colaboradores".
Tem malandro, deputado "cassado" que hoje é nome de rua, avenida, praça e estrada, e que foi, em verdade, informante enrustido.

Edemar Motta disse...

Cada vez mais suspeito que Serra era um infiltrado no movimento estudantil brasileiro. Por isso tantas facilidades pinochet-estadunidenses.

Douglas Yamagata disse...

Não precisamos ter acesso à tese de Serra pra saber o que ele pensa. É só ver as obras do Serra enquanto político: privatizações, entrega do patrimônio público, arrocho salarial, pedágios, educação com alunos sem reprovação, cacetada nos professores, etc...
Aliás, como tenho dito, o Serra é um covarde. Fugiu para o Chile em 64, ao invés de liderar os estudantes.
Ao contrário de muitos estudantes que deram sua vida pela democracia. Entre eles, José Dirceu e Dilma Rousseff.
O Serra é um verdadeiro covarde e nunca foi de esquerda.

JULIO CESAR FERRARO disse...

Jamais encontrarão qualquer antepassado de serra na Itália querida, pois ele não é de lá, para saber dos antepassados do zé será preciso ir até as profundezas do inferno que é o único lugar de onde pode ter saido tamanha besta fera. Para combater a besta fera DILMA NELES..... DILMA NELES.....

V disse...

Estou em dúvida entre a hipótese do Edemar Motta(Serra foi espião no movimento estudantil) e o Douglas Yamagata (Serra é um covarde).

As duas tem a cara do Serra, do demotucanato.

Mas uma coisa imagino, as respostas sobre a estada de Serra no EUA, ainda estão aqui, por isso a necessidade de avançar com o PNDH III.

José Eduardo disse...

Serra tem muito a explicar sobre aquele período. Como ele escapou tão facilmente da prisão no Chile, já que milhares de outros foram torturados e assassinados? Por que saiu da prisão do Pinochet direto para os EUA onde, aparentemente, foi recebido de braços abertos pelas autoridades daquele país? Isto valia uma reportagem na CartaCapital.

Ary disse...

Essa é fácil! O jovem José Erra era agente (agentinho) da Cia. Como líder estudantil, foi cooptado. José Erra fez um discurso pago quando defendeu as reformas de base. Tem cabimento um cara procurar a pátria que orquestrou o golpe no Chile e nela construir sua obscura carreira? Só se fosse íntimo dela. Outra coisa: Por que FFHH "postificou" o ZÉ Erra? Resposta: Mentor.

Reginaldo disse...

Acho que ajudo a esclarecer algumas das perguntas da matéria. José Serra nao terminou sua graduaçao e conseguiu uma prova de proficiencia ou algo do tipo, no Chile, equivalendo a graduação genérica (náo é economista). Daí, fez um mestradinho, uma monografia de umas 70 paginas sobre o milagre brasileiro. Uma versao foi publicada como uma brochura (ed. Periferia, B.Aires, 1972). Daí veio o golpe e muitos latino-americanos tiveram que abandonar o Chile. Serra foi pros E.Unidos e ganhou uma bolsa de estudos da Fundação Ford (consta que graças a FHC). Entre 1974 e 1978 conseguiu o prodígio, segundo ele, de fazer um outro mestrado (?) e um doutorado em ecnomia, em Cornell, além de dar aulas em Princeton. Na verdade, a universidade de Princeton já negou que Serra fosse professor da instituição: ele era bolsista de um centro de estudos associado à universidade. O doutrado é outro mistério, de fato. Consta na biblioteca de Cornell o titulo da tese. Ela está permanentemente "indisponível". Sites de busca especializados nao a conseguem encontrar em nenhuma biblioteca academica do mundo. No Braisl, muito menos. NEm mesmo na Unicamp, onde ele foi misteriosamente contratado e precocemente aposentado (salario integral) como professor titular, o mais alto posto da carreira. Já pratiquei o esporte de perguntar a economistas de varias universidades do Brasil (muitos deles simpaticos a Serra) qual era o argumento da famosa tese: percebi que nenhum sabia sequer o titulo. Nem os do Instituto de Economia da Unicamp. Já procurei em muitas fontes rastreadoras: ela nao é citada em nenhum trabalho (acadêmico ou nao). De fato, é um mistério. Qualquer professor que defende tese relevante sonha com sua publicação. Um cara faz uma tese em Cornell, tem amigos influentes nas editoras importantes, trabalha numa unviersidade de ponta que tem uma grande editora. E sua tese é clandestina. Muita modéstia.

Andre disse...

É inexplicável os EUA terem acolhido Serra naqueles anos. Já imaginaram Jango, Brizola, Jucelino, Arraes exilados por lá? Pra não dizer Gregório Bezerra, Prestes ou Marighella. Não tem sentido esperar que a Folha de São Paulo responda estes porquês. As perguntas precisam ser espalhadas, para obrigar Serra responder. O próximo 11 de setembro, dia do golpe, é uma oportunidade para ressaltar estas questões.

Poeteiro disse...

Vocês esquecem de um detalhe!

Serra estava no Brasil em 1964 e o presidente foi derrubado pelos militares.

Serra esteve na Bolívia em 1964 e o presidente Paz Estenssoro foi derrubado pelos militares.

Serra estava no Chile em 1973 e o presidente foi derrubado por militares...

Pé Frio?

Ernest disse...

Minha tese é que SERRA não fugiu para o Chile.
Serra viajou para ajudar a preparar o terreno para o golpe de Pinochet.
Em troca, ganhou green card e um mestrado em Priceton...
Viajei na maionese ou procede???

Daniel disse...

Pois é o que o Reginando disse. Verifiquei até entre em blogs partidários dele, que fazia menção a tal tese e só apontam para o link da biblioteca de Cornell, com o título, mas indisponível. hahahahaha
Falam tanto do passado da Dilma, mas suspeito que Serra nunca existiu. É um extraterrestre.

edward arthur disse...

Essa cara foi alguam esperiencia da CIA.

primeiro: parece uma chupa cabra.

segundo:onde ele se infiltrol teve golpe militar, Brasil 64,Bolivia 64, Chile 73.

terceiro: de onde veio tantos privilegios quando ele morava nos EUA.

quarto: medelo privastista de FHC identico do iniciados por pinoche

quinto:Ele esconde ao pulblico, que foi ministro do planejamento da era FHC e coloco o modelo pinoche em pratica.

Como vemos e nao precisa prestar muita atençao, esse cara é um tremendo charlatao, todos os seu passoa sao suspeitos desde sua militancia nos movimentos estudantis se comportando como um funcionario da ditadura até os dias de hoje com suas privatizaçoes e conceçoes desastradas rendendo autos lucros e lesando a todos.

Mauricio disse...

E o mais curioso ainda é que a mulher do Serra é sobrinha do Salvador Alliende, presidente socialista do Chile derrubado por Pinochet. Mais um motivo para ter barrada sua entrada nos EUA.

Luiz disse...

FHC confessou num livro seu, pelo que contam. Foi empregado da CIA. Agora só falta José confessar.
Parece, pelos comentários que muitos acadêmicos também eram pois facilitaram as coisas para ele.

Azuir disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Mangino disse...

O Vladimir Herzog foi entregue do Chile, por brasileiros que moravam lá na época.
Quem é mesmo que gosta de perseguir jornalista?.

chico disse...

Quando Serra saiu do Brasil ainda era estudante. Como conseguiu um emprego na CEPAL/ONU? Aquele órgão possuia um quadro técnico qualificado. Por que contratar um estudante brasileiro, que deveria ter problema com o idioma? No período do golpe, a Suécia era uma das poucas embaixadas que recebiam refugiados, e a liberação para irem a Estocolmo foi penosa.

João Paulo Ferreira de Assis disse...

A tese do sr. Edemar Motta está corretíssima. Observe-se que o discurso do Serra no comício da Central, de 13 de março de 1964 DESAPARECEU SEM DEIXAR VESTÍGIOS...

Por ele poderíamos ver se a missão dele como líder estudantil não seria a de jogar gasolina na fogueira e tornar o golpe inevitável.

Djijo disse...

Acho que o Serra não é o Serra, ele foi abduzido por algum alienígena americano.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração