Pages

domingo, 15 de novembro de 2015

Na véspera da demissão da GloboNews, Rezende criticou má vontade da mídia com governo


Um dia antes de ser demitido da GloboNews, (da Rede Globo) onde estava desde 1997, Sidney Rezende publicou um texto em seu perfil no Facebook e em seu blog pessoal fazendo duras críticas ao jornalismo praticado no Brasil.

Intitulado “Chega de notícias ruins”, o texto defende que notícias positivas também merecem espaço na mídia e lamenta: “Se pesquisarmos a quantidade de boçalidades escritas por jornalistas e ‘soluções’ que quando adotadas deram errado daria para construir um monumento maior do que as pirâmides do Egito. Nós erramos. E não é pouco. Erramos muito.”

Sem citar nomes, nem veículos, Rezende escreveu: “Há uma má vontade dos colegas que se especializaram em política e economia. A obsessão em ver no Governo o demônio, a materialização do mal, ou o porto da incompetência, está sufocando a sociedade e engessando o setor produtivo”. (Mauricio Stycer)

Leia o texto completo de Sidney Rezende


Chega de notícias ruins

Em todos os lugares que compareço para realizar minhas palestras, eu sou questionado: "Por que vocês da imprensa só dão 'notícia ruim'?"

O questionamento por si só, tantas vezes repetido, e em lugares tão diferentes no território nacional, já deveria ser motivo de profunda reflexão por nossa categoria. Não serve a resposta padrão de que "é o que temos para hoje". Não é verdade. Há cinismo no jornalismo, também. Embora achemos que isto só exista na profissão dos outros.

Os médicos se acham deuses. Nós temos certeza!

Há uma má vontade dos colegas que se especializaram em política e economia. A obsessão em ver no Governo o demônio, a materialização do mal, ou o porto da incompetência, está sufocando a sociedade e engessando o setor produtivo.

O "ministro" Delfim Netto, um dos mais bem humorados frasistas do Brasil, disse há poucas semanas que todos estamos tão focados em sermos "líquidos" que acabaremos "morrendo afogados". Ele está certo.

Outro dia, Delfim estava com o braço na tipoia e eu perguntei: "o que houve?". Ele respondeu: "está cada vez mais difícil defender o governo".

Uma trupe de jornalistas parece tão certa de que o impedimento da presidente Dilma Rousseff é o único caminho possível para a redenção nacional que se esquece do nosso dever principal, que é noticiar o fato, perseguir a verdade, ser fiel ao ocorrido e refletir sobre o real e não sobre o que pode vir a ser o nosso desejo interior. Essa turma tem suas neuroses loucas e querem nos enlouquecer também.

O Governo acumula trapalhadas e elas precisam ser noticiadas na dimensão precisa. Da mesma forma que os acertos também devem ser publicados. E não são. Eles são escondidos. Para nós, jornalistas, não nos cabe juízo de valor do que seria o certo no cumprimento do dever.

Se pesquisarmos a quantidade de boçalidades escritas por jornalistas e "soluções" que quando adotadas deram errado daria para construir um monumento maior do que as pirâmides do Egito. Nós erramos. E não é pouco. Erramos muito.

Reconheço a importância dos comentaristas. Tudo bem que escrevam e digam o que pensam. Mas nem por isso devem cultivar a "má vontade" e o "ódio" como princípio do seu trabalho. Tem um grupo grande que, para ser aceito, simplesmente se inscreve na "igrejinha", ganha carteirinha da banda de música e passa a rezar na mesma cartilha. Todos iguaizinhos.

Certa vez, um homem público disse sobre a imprensa: "será que não tem uma noticiazinha de nada que seja boa? Será que ninguém neste país fez nada de bom hoje?". Se depender da imprensa brasileira, está muito difícil achar algo positivo. A má vontade reina na pátria.

É hora de mudar. O povo já percebeu que esta "nossa vibe" é só nossa e das forças que ganham dinheiro e querem mais poder no Brasil. Não temos compromisso com o governo anterior, com este e nem com o próximo. Temos responsabilidade diante da nação.

Nós devemos defender princípios permanentes e não transitórios.

Para não perder viagem: por que a gente não dá também notícias boas?

6 Comentários:

Elena Osawa disse...

Acho que é por isso que a Globo o demitiu. Acharam que ele estava defendendo o governo. Na minha opinião ele estava sendo imparcial, pois concordo com ele de que o jornalista precisa noticiar os fatos como eles são, e não só noticiar distorcendo tudo só para prejudicar o governo.

Analista de Sistemas e Artista disse...

Astrólogo extremista Olavo de Carvalho é banido do Facebook do Exército e posts serão avaliados juridicamente
-
http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/astrologo-extremista-olavo-de-carvalho-e-banido-do-facebook-do-exercito-por-causa-de-xingamentos/

Maria Diana disse...

O QUE A globo DEVE FAZER AGORA?
É PAGAR OS 18 ANOS DOS DIREITOS TRABALHISTA DO JORNALISTA,
(COM MAIÚSCULAS, MESMO) E ABRIR O COFRE PARA NOVAS INDENIZAÇÕES!rsrsrs
O ÚLTIMO QUE FINCAR O PÉ, FECHE A PORTA!������������������������✋����

maria delange de oliveira pinto disse...

Deixei de assistir o jornal por este motivo, eles nunca tem uma boa notícia. para nos dar/ e o governo atual e a sua cobaia.

Rogério Motta - NY disse...

Sidney Rezende Já era seu admirador e ao ler sua carta mais ainda...sucesso!
Nada acontece por acaso em nossas vidas. deus no comando!
A Globo tem dado mais Noticia ruim que o Datena e o Marcelo Rezende...Globo Alerta e Globo Urgnte poderia ser o novo nome da GloboNews

osni vicente fernandes alves disse...

Hoje no Brasil nas emissoras de tv abertas e pagas so se ouve noticias de desgraças politicas, nao se aguenta mais assistir sobre o cenario politico. Agora é assim é uma briga de poderes quem manda mais gente pra rua disputar favoritismo, que esta certo ou errado, so que robalheira continua e o povo so se ferra.O que esta faltando ao povo é conciencia realmente quem sao os membros do PT.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração