Pages

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Ellen Gracie em comitê


A Petrobras aprovou a criação de um comitê especial de interlocução entre a estatal e os escritórios de advocacia contratados para conduzir as investigações internas de irregularidades na petroleira. O membro brasileiro do colegiado, que terá linha direta com o Conselho de Administração da empresa, será a tucana Ellen Gracie, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). O integrante estrangeiro anunciado foi Andreas Pohlmann, que atuou na Siemens de 2007 a 2010. Há ainda um diretor de Governança, Risco e Conformidade que ainda não foi nomeado.

Em comunicado, a petroleira informou que cabe ao comitê aprovar o plano de investigação, receber e analisar os dados encaminhados pelos escritórios, assegurar que a investigação mantenha a independência, implementar recomendações feitas pelos advogados contratados e elaborar relatório final com as conclusões do trabalho. O colegiado também fará recomendações em relação às políticas internas da estatal e procedimentos relativos à investigação.

Para agilizar os trabalhos, o comitê iniciará as atividades com a atuação dos dois membros independentes. "O diretor de Governança, Risco e Conformidade passará a integrar o grupo tão logo seja nomeado", comunicou a empresa.

"Vasta experiência"

Na mesma nota, a Petrobras ressaltou a competência e a seriedade da ministra aposentada do STF. "É reconhecida dentro e fora do Brasil por ser grande jurista com vasta experiência na análise de questões jurídicas complexas", ressaltou a estatal. Andreas Pohlmann é formado em direito pela Universidade Goethe, em Frankfurt, e tem doutorado pela Universidade Tubingen, também na Alemanha.

3 Comentários:

Nelson Menezes disse...

Dar um cargo muito importante a uma pessoa que foi ministra do STF,Tomara que o cargo seja totalmente técnico ,porque se transforma-lo em cargo político,talvez a Petrobras perca com isto.

Rodrigo Javier disse...

A namorada de FHC.

Ricardo disse...

Podiam ter chamado logo o FHC para fazer a investigação "independente". Indicar opositores é coisa que não se faz em lugar algum do mundo.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração