Pages

domingo, 21 de outubro de 2012

Comício de Márcio Pochmann: 10 mil pessoas lotaram duas praças em Campinas


No maior evento já realizado durante a campanha em Campinas, a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula afirmaram ontem que o PT "representa uma nova forma de fazer política" no Brasil, em comício do candidato a prefeito da cidade Márcio Pochmann (PT). Para cerca de 10 mil pessoas que lotaram duas praças no centro de Campinas, Dilma e Lula  falaram dos governos do PSDB e mandaram um recado para o PSB, partido do adversário local Jonas Donizette,  adversário do PT em Campinas: "Somos de um governo que não persegue ninguém e não discrimina, mas isso não significa que eu não tenha time", afirmou Dilma.

O candidato do PSB local usa em sua campanha a aliança com o PT no governo federal para dizer que terá boas relações com Dilma, apesar de ser coligado na cidade com o PSDB, que tem o vice em sua chapa.  Dilma, que definiu Campinas como única cidade do interior do País em que ela fará campanha nesse segundo turno, Pochmann representa o novo como ela representava em 2010, mas "não a inexperiência". "Dizem para vocês, como diziam de mim, que eu não tinha experiência, que eu era uma pessoa que não era capaz de governar. O que eles queriam apontar é que nós somos os representantes de uma nova forma de fazer política. Política decente", afirmou Dilma.

Postes

 Lula. também lembrou; "Diziam que o Márcio era apenas um poste, como diziam que a Dilma era um poste, que não sabia governar. Mas é de poste em poste que o Brasil vai ficar iluminado", afirmou Lula. A presidente afirmou que a principal diferença é que os governos petistas governam para o povo. "Representamos 10 anos de governo, oito anos do Lula e dois meus. Nos quais nós aprendemos a fazer, deste país, um país desenvolvido onde as pessoas tenham oportunidades, de estudar", disse a presidente .

Lula  relembrou sua primeira eleição a presidente em 1989 quando afirmou que era "um bagrinho" e acabou indo para o segundo turno. Segundo ele, os meios de comunicação na época tiveram medo. "A tentativa de intimidar a sociedade com a figura do Lula. As mesmas pessoas que amavam o Cristo porque tinha barba, me odiavam porque eu tinha barba", afirmou. "O Brasil não pode cometer o erro que cometeu em 1989", afirmou Lula ao citar a eleição em que  disputou com   Fernando Collor.

"Não foi o Lula que perdeu, foi o Brasil que perdeu a chance de ter evoluído 20 anos atrás para o momento que está vivendo hoje. Se tivéssemos ganhado a eleição, não teríamos tantos jovens na criminalidade, já teríamos duas ou três vezes mais estudantes fazendo universidade", disse o ex-presidente, que indicou pessoalmente o nome do economista Pochmann para a disputa em Campinas.

O presidente disse também que o PSDB em 20 anos a frente do governo do Estado de São Paulo não beneficiou Campinas como o PT no Governo Federal. "Duvido que os tucanos que estão no governo do Estado tenham colocado nesses 20 anos em Campinas o dinheiro que eu pus quando fui presidente", disse Lula, que também afirmou que o PSDB levou para a cidade apenas "presídios e os pedágios mais caros do Brasil."Com Lula, estavam ministros do governo federal, prefeitos eleitos petistas e lideranças nacionais do partido.

Jonas, que é deputado federal foi radialista em Campinas.

Lula  ainda mandou um recado para o adversário local, Jonas Donizete do PSB, que tem usado a aliança do seu partido com o governo federal na campanha.

"Não tem na história do País nenhuma demonstração de alguém que por ter um programa de rádio e ficar distribuindo cadeira de rodas, dentadura, tenha dado certo como prefeito de qualquer cidade desse país", afirmou o ex -presidente .É que Jonas, radialista, fazia um programa de caráter assistencialista. E seu partido, o PSB, pode sair da base de Dilma.

3 Comentários:

alex disse...

TUDO QUE O LEITOR DEVERIA SABER SOBRE SONINHA E A MÍDIA PAULISTANA ESCONDE

do Blog Diário do Centro do Mundo

Soninha tem interesse pessoal na permanência do PSDB no poder em São Paulo. Mãe e filhas têm bons empregos públicos no governo paulista conquistados sem concurso. Ela própria também tem vantagens concretas. Recebe dinheiro para participar de reuniões de diretoria na Cetesb, da qual é conselheira.

Falta aí, mais que tudo, transparência. O eleitorado tem que saber disso amplamente. O partido de Soninha apoia o PSDB. Pode ser que o apoio seja por convicções. Mas também pode ser por razões menos nobres. A transparência ajuda o cidadão a formar sua opinião.

E aí vou para a mídia. Caberia a ela trazer essa transparência ao tema. Isso foi parcialmente feito. Em minha pesquisa, vi que o Jornal da Tarde publicou há alguns meses uma reportagem de Fabio Leite sobre as relações profissionais de Soninha e família com o governo paulista.

Na reportagem, você lê que o governo justificou a contratação de uma filha de Soninha com sua fluência em várias línguas. O repórter descobriu, no site da USP, que não tem fluência em nenhuma.

O que fez a Folha de S. Paulo, por exemplo? Em minha pesquisa, e se estou enganado me avisem por favor, não encontrei uma única reportagem sobre um tema de grande interesse público no estado que ela carrega no nome.

Como paulista, pensei o seguinte. Quantos casos iguais aos de Soninha não existem no governo de São Paulo? Quantos empregos do mesmo gênero não são sustentados pelo contribuinte paulista? Essa é a famosa qualidade de gestão do PSDB, um partido no qual votei pela maior parte de minha vida adulta?

O assim chamado aparelhamento do estado pelo PT é citado ubiquamente pela mídia. O que é este caso senão um sinal de que o PSDB de São Paulo faz um aparelhamento a seu estilo, fora da vigilância da mídia que deveria funcionar como fiscal?

O Diário quer ajudar a trazer luz para os debates na sociedade brasileira. Má conduta no PT e no PSDB e onde mais for será tratada do mesmo modo, no interesse público.
A mídia tradicional está trazendo apenas a luz que lhe convém – e o Brasil merece muito mais que isso.

fonte: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/?p=13619

Ana Cruzzeli disse...

É impressionante a onda vermelha no estado de SP.
Essa do Marcio, aquela do Haddad e de tantos mais candidatos do PT.

Anônimo disse...

A nossa Dilminha ´´e mulher integra, capaz e corajosa. Issoo demonstra sua trajetória de vida, seu desempenho no governo e seus discursos nestas últimas eleições. Ninguém a intimida, ela sabe o que é melhor para o Brasil é isso que adota como norte de seu governo. Que vençam os candidatos petistas e que o Brasil siga adiante, a despeito de STFs, STEs,oposição de direita e esquerda e torcida contra dentro e fora do país.
Liliane

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração