Pages

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

'Saudade de Lula' será componente eleitoral de 2018, diz pesquisa



Pesquisa qualitativa da Ideia Inteligência, feita com exclusividade para o jornal Valor Econômico, apontou que a disputa pela presidência do país em 2018 pode contar com o componente da "saudade". A empresa tentou entender o que justifica o desempenho de Luiz Inácio Lula da Silva em pesquisas quantitativas, mesmo com toda a atenção da mídia tradicional contra o ex-presidente.

Levantamento quantitativo do Datafolha feito em dezembro, com 2.828 entrevistas e margem de erro de dois pontos, mostrou que Lula é líder isolado em todos os cenários de primeiro turno.

De acordo com a reportagem do Valor, a pesquisa explorou argumentos de eleitores que "andam afastados do PT, mas declaram intenção de votar no petista", apontando para "reiterados sinais de um sentimento de nostalgia" em relação ao período entre 2003 a 2010. Tais "lembranças" seriam relacionadas principalmente a aspectos econômicos.


A discussão, estimulada por um profissional habilitado da empresa de pesquisa, durou uma hora e meia, com um grupo de dez pessoas das classes C e D de regiões periféricas de São Paulo, de 25 a 55 anos, que não são filiados ou militantes do PT, mas que, embora possam ter restrições ao partido, declaram intenção de votar em Lula. Elas receberam uma gratificação em dinheiro pela participação, lanche e refrigerante.

Os eleitores teriam interesse por política, mas forte rejeição a partidos. Eles usam o Facebook e a televisão, principalmente Globo e Record, como fontes de informação, e já votaram em Lula pelo menos uma vez. Nenhum deles votou pela reeleição do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). Mais da metade declarou voto em João Doria (PSDB), três anularam, e um votou em Celso Russomanno (PRB). O nome do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) teria despertado interesse nos homens, e "imediata rejeição" entre as mulheres.

0 Comentários:

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração