Pages

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Temer ironizou protesto contra ele. O povo voltou as ruas e deu o recado


Vaia no Maracanã não foi 'míni'...

Míni, míni... míni? Subestimar as ruas não é uma boa tática

Na primeira entrevista como presidente efetivo, no lobby de um hotel de Hangzhou, Michel Temer foi questionado sobre as manifestações que começavam a pipocar contra seu governo. "As 40 pessoas que quebram carro?", ele desdenhou....(Veja as fotos da manifestação de ontem (domingo) na avenida Paulista)
 Refestelado numa confortável poltrona de couro, o presidente classificou os protestos como "inexpressivos". "Foram grupos pequenos e depredadores, né? Não foi uma manifestação democrática", menosprezou. "São 40, 50, 100 pessoas, nada mais do que isso. No conjunto de 204 milhões de brasileiros, acho que isso é inexpressivo", disse.
 Os repórteres enviados à China repetiram a pergunta a José Serra. "Manifestações aonde?", debochou o ministro. Ao ser lembrado de que o governo começava a ser alvo de protestos em várias cidades brasileiras, ele voltou a esnobar os atos. "Míni, míni, míni, míni, míni, míni", disse.
 Ao jornal "El País", Serra arriscou uma conta parecida com a do chefe. "São muito pequenas, quase nada. Cinquenta, cem pessoas".
 No dia seguinte às declarações, cerca de 100 mil pessoas marcharam em São Paulo contra o governo. Assessores de Temer reconheceram que ele errou ao depreciar os protestos. Para eles, o presidente passou imagem de soberba e ajudou a inflamar quem estava insatisfeito.
 Subestimar a rua não é uma boa tática para governantes impopulares. Em 1992, Fernando Collor chamou a oposição de "minoria que atrapalha" e instou o povo a se vestir de verde e amarelo para defendê-lo. Uma multidão preferiu sair de preto, com os resultados conhecidos.
 Nesta quarta (7), Temer foi alvo de vaias e gritos de "Fora" no desfile militar em Brasília. Protegidos por um forte esquema de segurança, seus ministros voltaram a zombar dos manifestantes. "Que protesto? Quinze pessoas?", perguntou Geddel Vieira Lima. "Não havia mais de 18", provocou Eliseu Padilha. À noite, o presidente ouviria outra vaia  estrondosa no Maracanã. E não foi míni Bernardo Melo


Nem a Veja conseguiu esconder

1 Comentários:

Dilma Coelho disse...

FORA TEMER – DIRETAS JÁ!!!
A maioria dos brasileiros quer novas eleições para presidente, mas isso não vai acontecer a menos que a maioria de nós não reconheça a legitimidade do governo de Michel Temer. Junte-se à campanha para deixar o povo decidir quem deve liderar o nosso país e envie para todos:
ASSINE A PETIÇÃO
Apenas 13% dos brasileiros apoiam este governo – isso não é democracia! Nós somos o único movimento no país que pode chegar a oito milhões de pessoas nas próximas horas. Vamos construir o maior apelo para eleições antecipadas já visto – junte-se agora e conte para todos:

https://secure.avaaz.org/po/brasil_fora_temer_loc/?bzyaReb&v=81113&cl=10643515481&_checksum=c5711c90725c5738635c7c4248c340d6fc05ccf9320b64aab6b6abc77e0c03f7

Grande parte da nossa elite política é corrupta. Mas, ao menos, sempre tivemos a chance de escolher quem deveria nos liderar.
Novas eleições são possíveis. - Essa é nossa chance! Assine agora e compartilhe com todos -- vamos liderar um movimento que forçará novas eleições:

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração