Pages

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Manifestação contra o golpe reúne 55 mil pessoas só em SP, segundo Datafolha



 Três dias após as manifestações a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, protestos contrários à destituição da petista ocorreram nesta quarta (16) em ao menos 21 capitais do país mais o DF.

Segundo o Datafolha, 55 mil pessoas foram aos atos em São Paulo, que partiram da avenida Paulista, em frente ao Masp, e se dirigiram até a praça Roosevelt. No horário de maior movimento do protesto, às 19h, 45,4 mil pessoas estiveram no ato.

No último domingo (13), 40,3 mil pessoas estiveram na avenida Paulista em defesa do impeachment, número distante do pico de março, quando 200 mil pessoas foram aos protestos contra o governo.

O  atos desta quarta-feira contou  com a participação de manifestantes espontâneos,e  movimentos ou centrais sindicais.

As manifestações também tiveram como alvo o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O deputado, que aceitou o pedido de impeachment da presidente, é alvo de dois inquéritos no STF por suspeita de envolvimento com a Lava Jato, além de uma nova apuração que averigua se ele atrapalhou as investigações.

No Rio, em Brasília e em São Paulo, quando locutores em carros de som anunciaram que a Procuradoria Geral da República pediu o afastamento do presidente da Câmara, os manifestantes gritaram "Ai, ai, ai, empurra o Cunha que ele cai". Junto ao canto, os gritos de "fora, Cunha" e "não vai ter golpe" também foram repetidos nos atos desta quarta.

Coordenador do MTST, Guilherme Boulos afirmou que "esse impeachment é ilegítimo, é fruto de chantagem de Eduardo Cunha". "É uma saída à direita para a crise", disse ele, que também disparou contra o vice-presidente, Michel Temer. "Quer escrever carta, vai trabalhar nos Correios", atacou, em referência à carta enviada por Temer a Dilma no último dia 7.

Em cidades como Salvador e Porto Alegre, manifestantes usaram máscaras de Cunha e levaram cédulas falsas de dinheiro durante o protesto. Já no Recife, além do presidente da Câmara, o deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB) também foi alvo dos manifestantes. Possível sucessor de Cunha, o ex-governador de Pernambuco é visto como aliado da oposição a Dilma.É com dor no coração que a Folha publicou

5 Comentários:

Ricardo disse...

Se a Folha diz que tinha 55 mil, então passou fácil de 100 mil. No Brasil todo, deve ter sido mais de 1 milhão de pessoas.

Nelson Ribeiro disse...

Tá brincando... se do dia 13 deu 45... o de hoje deu 4 vezes mais.

Nelson Ribeiro disse...

O Estádio do Corinthians cabe quantas pessoas? Dai dá pra ter uma ideia de que essa avaliação é falha. Tem muito mais do que dois estádios nas fotos que vi.

br3 disse...

E um juiz bloqueou o wats-up Ants da manifestação. Coincidencia?
E transformar cem mil pessoas em tres mil? Crime! Eu estava la e vi. Todoas comentavam o recorde de povo (Povo Brasileiro de verdade!).
Chega nao aguento mais tanta baixaria fascista! Nao passarao!

br3 disse...

Chato foi chegar em casa apos 6 horas na manifestacao,ligar a tv as 10 horas da noite po ahi e ouvir o jornal da RTV informa an passant que "so" foram 3 mil pessoas...e mudar o assunto. Depois quando a verdade aparecer não havera direito de resposta.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração