Pages

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Tucana é intimado para explicar o trem da alegria, com dinheiro público



O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), foi intimado pela Justiça a fornecer informações sobre uma estadia de dois dias em Paris durante missão internacional, realizada no mês passado. A parada do governador na capital francesa, que não estava na programação oficial da viagem, foi divulgada em reportagem da Folha de S.Paulo. Richa e a mulher, a secretária Fernanda Richa, além de outros dois membros do governo, ficaram hospedados num hotel cinco estrelas, próximo à avenida Champs-Élysées, durante um fim de semana. Não houve agenda oficial no período. 

O governo justifica que foi uma "parada técnica", numa escala em direção à China, e que não havia outros voos disponíveis. Todos os gastos da viagem, afirma a gestão, foram divulgados no Portal da Transparência -segundo o site, foram R$ 38 mil por pessoa, para 13 dias de missão. Nesta terça-feira (10), o juiz Roger Vinicius de Camargo Oliveira, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, determinou que o governo informe os nomes de quem compunha a comitiva, a agenda da viagem, os comprovantes de pagamento e a justificativa formal da parada em Paris.

 O Estado terá 20 dias, a partir da notificação, para fornecer as informações. A ordem atendeu a um pedido de um grupo de advogados chamado Direito para Todos, que ajuizou uma ação popular contra o governo. A petição inicial solicita que, caso a viagem a Paris não se justifique ou fique comprovado um "desvio de finalidade", o governo restitua os valores aos cofres públicos. O Paraná passa por um momento de restrições orçamentárias: no início do ano, aumentou impostos e congelou um quarto do orçamento. Desde então, houve aumento de receita -o governo promete quitar todas as dívidas com fornecedores até o fim do ano, e pretende investir R$ 6,8 bilhões em 2016. 

Entre os autores da ação, estão membros do PSOL e PSTU. O representante do grupo, o advogado Ramon Prestes Bentivenha, afirma que a atuação do coletivo, porém, é "técnica e independente". Procurado, o governo do Paraná informou que só se manifestará após ser notificado oficialmente da decisão. Da Folha

2 Comentários:

BRASIL ESPÉRANÇA edson tadeu disse...

ALEM DE SE DESVIAR VAI COM A SECRERTÁRIA FERNANDA " RICHA" NUMA ATITUDE DE DESRESPEITO AO TSE POIS PRATICA O DEPOTISMO NA CARA DAS AUTORIDADES E JA DEVIA TER SOFRIDO SANÇOES

damassareal disse...

Vice-governadora Cida Borghetti (Pros), casada com o Deputado Federal Ricardo Barros (PP/PR), também viajou e deixou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB) como governador. A vice é mãe da Deputada Estadual Maria Victoria Borghetti Barros (PP/PR) . Assim caminha a política..... tudo em Família.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração