Pages

terça-feira, 9 de junho de 2015

Nike paga R$ 11 milhões para colocar Ronaldo no carnaval carioca. Beija-Flor recusa.


A escola de samba Beija-Flor do Rio declinou de fazer um carnaval "padrão FIFA" para homenagear o jogador Ronaldo "Fenômeno". Nem por R$ 11 milhões oferecidos pela Nike.

Depois de vencer o carnaval deste ano, mas sob severas críticas por ter recebido patrocinado da Guiné-Bissau, e depois das críticas em 2014 por ter usado o ex-diretor da TV Globo Boni como tema do enredo, agora não quer nem pensar em associar a escola com figuras do futebol envolvidas com a corrupção na CBF e na FIFA.

Laíla, diretor de Carnaval, disse: "Chega. Cansei de tomar porrada também. Recusei R$ 11 milhões da Nike para fazer um enredo sobre Ronaldo Fenômeno. Nem pelo c****** que eu vou fazer isso. Quero acabar com essa situação de ficar apanhando. Vamos resgatar a essência do Carnaval, aquilo que aprendi no Salgueiro nos anos 50, 60 e 70, com Fernando Pinto, Arlindo Rodrigues, Fernando Pamplona, Rosa Magalhães, e até mesmo com o Joãosinho", depois de dizer "Faremos um Carnaval sem dinheiro de ninguém. Só com o que a Liesa dá a cada escola. Nem o Anízio (Abrahão David, patrono da escola) colocará um centavo". (Com informações do Jornal "O Dia")

1 Comentários:

José Gilbert Arruda Martins disse...

Olha a intimidade!

Por que Ronaldo abriu mão da remuneração para "trabalhar" como um dos organizadores da Copa do Mundo?

Nem Deus sabe o que explica atitude tão franciscana, mas os últimos acontecimentos podem dar pistas.

João Havelange foi defenestrado do futebol pela idade e pelos "mal feitos", Ricardo Teixeira está sendo investigado pelo Ministério Público e pela Polícia Federal; Blater renunciou e não pode colocar o dedão do pé fora de Zurique, Marin (na foto rindo dos tolos) está preso e bem preso na Suíça, que tropa hem?

E Ronaldo?

E a Globo?

Parabéns Beija Flor, sou Portela, mas parabéns mesmo pela coragem de recusar tanta grana.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração