Pages

domingo, 3 de maio de 2015

Só faltava essa: MPF quer investigar Lula por não ser vendilhão da pátria.

A que ponto chegou o demotucanismo incrustado no pensamento de alguns membros do MPF e a perseguição ao presidente Lula. Ou é a obsessão para ser notícia de capa da revista Época das Organizações Globo? Ou são as duas coisas?

O MPF quer investigar o presidente Lula por defender a integração latino-americana e com a África, abrindo mercados para exportação de bens e serviços brasileiros, gerando empregos no Brasil. Obviamente, exportações só é possível por empresas brasileiras.

É uma completa inversão de valores. Se alguém deveria ser investigado por alta traição à nação são os vendilhões da pátria demotucanos, que cederam mercados de mão beijada para potências imperialistas, faziam o Brasil encolher e faziam uma política de colonizados.

Agora ser nacionalista, defender empregos para brasileiros, divisas para o Brasil, exportações de empresas brasileiras virou suposto crime de tráfico de influência na cabeça de alguns.

Um estadista como Lula teria de ser vendilhão da pátria como era FHC/Aécio/Alckmin/Serra para não ser criminalizado? Chegas as raias do absurdo.

Enquanto Nelson Mandela, mesmo após estar aposentado, era elogiado por defender os interesses da África do Sul. Enquanto Bill Clinton, mesmo depois de deixar a presidência, é elogiado por defender os interesses estadunidenses, aqui no Brasil querem criminalizar Lula. Absurdo.

O MPF é do Brasil ou virou braço do EUA? Sim, porque sabotar quem luta pelos nossos interesses nacionais só interessa aos países imperialistas que disputam aqueles mercados internacionais com o Brasil.

Tem corrupção demais sobrando de tucanos embaixo do tapete à espera da boa vontade do MPF em investigar para ficar procurando coisas absurdas como criminalizar quem não é vendilhão da pátria.

3 Comentários:

Monica Braga disse...

Face a tudo que a Justiça Brasileira tem feito essa é mais uma aberração jurídica. O que mais deixa a população indignada é o fato de que o cidadão não ter o direito de reclamar dessas aberrações. Por que a quadrilha tucana nunca é investigada? Por que o MPF faz o que quer e fica por isso mesmo? Já está na hora do CNJ punir os homens da Lei que agem como fora da Lei.

Luiz Mattos disse...

Faz anos que temos alertado que a passividade do PT levaria a política a esse estado apreensivo,um Partido que sofre ataques e não se defende coloca em nosso horizonte tempos de luta.Petista hoje é defenestrado nas ruas,poucos se atrevem a sair com a camisa do Partido a militância é a maior vítima da covardia dos políticos.Temos um ministro na "justiça" que é um despreparado ou um mal intencionado eu nunca gostei e nunca confiei neste moleque e Dilma insiste em manter esse tucano no cargo,por várias vezes postei na net que esse cara iria afundar com o PT e com o Governo e por várias vezes reclamei que somente a militância tinha olhos e percepção do futuro e previ que teríamos um dia que sair pro pau na defesa do Partido.Chega!É preciso o enfrentamento antes que o País tenha de passar por uma guerra civil pois não haverá golpe sem sangue.

ALFS disse...

ELES ESTÃO CONSEGUINDO ESVAZIAR O GRANDE LAGO, E O CARDUME ESTÁ AGONIZANDO, ESTA DE UM JEITO QUE O POVO TA PERCEBENDO QUE TEM MUITA COISA ERRADA , POIS SOMENTE O PT E INVESTIGADO, O PT VIROU BOI DE PIRANHA, ESTE CERCO COMEÇOU LA ATRÁS, ONDE LULA CONCEDEU LIVRE ACESSO AO MPF PARA INVESTIGAR, A PARTIR DALI, ELE PRÓPRIO COMEÇOU A SER CASSADO. ALGUMA HORA ELE, LULA, VAI ACORDAR NO MEIO DO LAGO SECO. O PIOR E QUE O POVO NÃO QUER ISSO. E FEZ SUA ESCOLHA PELO VOTO, VOTOS QUE NO DIA SEGUINTE, PARA A OPOSIÇÃO JA ERA COISA DO PASSADO, CONSTITUIÇÃO? VIROU DOIS PEDAÇOS E O PEDAÇO MAIOR TÁ COM A JUSTIÇA, MPF, GLOBO E PSDB. DOIS BRASIS, O POVO E A ELITE. DOIS LAGOS UM SENDO DRENADO PARA O OUTRO. QUEM MAIS PERDE E O ELEITOR MANIPULADO, TEM DE MUDAR ESSA CONSTITUIÇÃO, PARA SABER QUAL E REALMENTE O VALOR QUE O VOTO TEM

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração