Pages

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Câmara aprova fim da reeleição para presidente, governador e prefeito a partir de 2020

Com apoio de todos os partidos, foi aprovada na Câmara dos Deputados o fim da reeleição para presidente da República, governadores e prefeitos.

Foram 452 votos a favor, 19 contra e 1 abstenção. Falta passar pelo senado.

O texto aprovado prevê uma transição.

Os atuais prefeitos eleitos em 2012 poderão se candidatar à reeleição em 2016, mas os eleitos em 2016 em primeiro mandato não poderão mais se candidatarem à reeleição em 2022.

Exemplo: o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad poderá se candidatar à reeleição no ano que vem, mas ninguém mais poderá se candidatar à reeleição para prefeito em 2020.

Os atuais governadores eleitos em 2014 e os vices que vierem a assumir o cargo poderão se candidatar à reeleição em 2018, mas nenhum governador poderá mais se candidatarem à reeleição em 2022.

Exemplo: Fernando Pimentel poderá se candidatar à reeleição em 2018. As regras contemplam também as ambições do vice-governador de São Paulo Márcio França (PSB). Caso Geraldo Alckmin (PSDB-SP) se afaste do governo em 2018 para se candidatar a presidência ou ao senado, o vice assumirá o cargo e poderá se candidatar à reeleição. Mas nenhum governador poderá se reeleger em 2022, nem o vice que suceder ao cargo durante o mandato.

Para presidência da República, a presidenta Dilma já está no segundo mandato e não poderia se reeleger de qualquer forma em 2018. O presidente eleito em 2018 não poderá se reeleger em 2022.

O curioso foi ver deputados demotucanos que votaram na emenda da reeleição de FHC, agora votarem para desfazer o que fizeram.

A regra também revela o medo do presidente Lula se eleger em 2018, pois limita o mandato a 4 anos, impedindo sua reeleição.

8 Comentários:

Anônimo disse...

viva o pt!!

inacio cardoso disse...

viva o PT!! obrigado por tudo, boicotemos a midia golpista e essa elite caviar, pseudodemocratas anticonstitucionalistas

Chico Bisneto disse...

Pergunto a Lei da reeleição para prefeito eleito em 2012 elo poderá ser candidato ao mesmo cargo agora em 2016

Carlitos Luzia disse...

É a principio parece bom...iremos desfazer esse circulo vicioso de ser dono da "cadeira" a qualquer custo...uma gestão é pouco...acredito q de repente o Senado, q não votou ainda, tente estender a:a ter direito a uma reeleição...mas ja é um grand passo rumo a verdadeira transparencia politica brasileira...

Isaias Cunha disse...

Penso também que deveriam acabar com o salário de políticos... Não deveriam ter renumeração nenhuma...

Duda Souza disse...

Tira isso daí presidente pode ser mas tirar um prefeito que foi bom para a cidade e colocar um que vai destruir não é certo que diabo dessa política teve essa ideia pelo amor de Deus super contra que ódio

luiz lima disse...

Eu aprovo o fim da releição, os que representa a maquina publica se beneficia do poder, para fazer sua releição. Pra min foi a melhor coisa feita

Rubens Santos disse...

Que maravilha !!!!finalmente entenderam que os cargos politicos precisam ser renovados, pondo um fim na farra do mau uso da máquina administrativa em benefícios próprios. Rubens de Sergipe

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração