Pages

domingo, 19 de outubro de 2014

Aécio manda e TSE censura Dilma


Até a Folha, através de seu colunista Janio de Freitas, viu que o TSE está censurando a campanha eleitoral da presidenta Dilma, enquanto deixa correr os ataques de Aécio. Ontem, a presidenta Dilma  se manifestou  contra a censura  na sua conta no Twitter. Da campanha da Dilma o TSE retirou  quatro peças da propaganda.

A primeira diz que Aécio construiu um aeroporto no terreno da família na cidade de Cláudio. Veiculada sexta-feira na TV, a peça diz que Aécio fez "aeroporto em terreno da família, e a chave ficava nas mãos de seu tio".

A segunda propaganda que saiu do ar faz paródia com a música "Oh, Minas Gerais". Veiculada no rádio, a peça usava letra adaptada para criticar Aécio fazendo uma referência à vitória de Dilma em Minas no primeiro turno.

 Na terceira, Dilma usava trechos de debates com acusações ao adversário sem dar a ele direito de resposta.

Na quarta, o PT cita a recusa de Aécio de fazer o teste do bafômetro numa blitz da Lei Seca, no Rio.

Em seu artigo hoje na Folha, Janio de Freitas  acusa TSE de censura

A partir de uma apelação de Aécio Neves, o Tribunal Superior Eleitoral tomou duas decisões que caracterizam censura à liberdade de informação jornalística e à liberdade pessoal de expressão, mesmo que para expor fatos. É no mínimo duvidoso que o TSE disponha de poderes para impor as duas medidas, que se incluiriam em atribuições do Congresso e, até onde se pode saber fora dos doutos tribunais, opõem-se a princípios da Constituição.

O TSE tomou as duas decisões para aplicação imediata nos programas de propaganda eleitoral do segundo turno. Portanto, além do mais, muda as regras de um processo em curso, já em seus últimos dias.

Uma das restrições proíbe a reprodução, nos programas de propaganda eleitoral, de reportagens e artigos de imprensa. Ainda que se destine a restringir o conteúdo e a forma da propaganda, a proibição incide sobre a divulgação dos artigos e reportagens. Logo, restringe a liberdade de imprensa com antecedência. O que caracteriza censura prévia.

O TSE criou a medida repressora ao considerar queixa de Aécio Neves contra a exibição, na propaganda de Dilma Rousseff, de um recorte de jornal sobre demissões de jornalistas em Minas, atribuídas a pressões do então governador e negadas pelo hoje candidato. O relato dessas demissões, pelos próprios atingidos, está no documentário Liberdade, Essa Palavra , de Marcelo Baêta Chaves.

Prevalece o descritério. A campanha de Aécio Neves, no primeiro turno, consistiu no esforço de comprometer Dilma Rousseff com a corrupção alegadamente confessada pelo corrupto da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Sem nenhuma prova das acusações feitas em troca de impunidade. O TSE, porém, não achou necessidade de agir contra o uso de acusações tão graves, mas sem provas.

A outra medida repressora do TSE equipara-se em tudo à anterior. Proíbe a exibição de entrevistados em apoio a afirmações críticas feitas pela campanha. Nada convém mais a uma crítica do que a fundamentação com fatos ou com manifestações pessoais. O TSE não a quer. Talvez pela possibilidade de captação de declarações inautênticas. O conveniente, no caso, não seria a proibição indiscriminada, mas a contenção do abuso --o que conviria também à moda jornalística de sair selecionando declarações nas ruas a pretexto de interatividade .

Nesse segundo caso, o TSE proíbe que cidadãos usufruam da liberdade de expressar suas queixas, suas aspirações e, pode ser, sua adesão eleitoral. Ou seja, ao cidadão fica proibido mostrar que é cidadão.

Por que Aécio está desesperado...Segundo o colunista Ilimar Franco, no Globo

As críticas da campanha da presidente Dilma, nos comerciais de TV, estão colando em Aécio Neves. As pesquisas qualitativas revelam, segundo analistas políticos, que os ataques fizeram a rejeição de Aécio ficar maior que a de Dilma. Por isso, os tucanos querem paralisar essa ofensiva e estão requerendo ao TSE que tire o adversário do ar ou lhes dê direito de resposta.

 A campanha tucana diz que em pesquisas qualitativas o público reagiu mal aos ataques entre os candidatos no debate do SBT. Mas nos estúdios da TV, auxiliares e apoiadores reagiram exultantes aos ataques desferidos por Aécio Neves contra a presidente Dilma. Os políticos pedem bis.

2 Comentários:

C.Paoliello disse...

O TSE fez como o STF, apenas cumpriu a vontade do PIG. A velha mídia já
tinha decidido que denúncias de corrupção contra o PSDB não valem, o TSE
tornou esta vontade do PIG oficial. É uma vergonha para o país ter um
juiz como o que concedeu a liminar aos tucanos, numa atitude claramente
partidária às vésperas da eleição. É tudo o que o TSE NÃO PODERIA TER
FEITO. É uma decisão manifestamente ILEGAL.
Será que o TSE terá o mesmo papel que a suprema corte americana ao empossar o candidato derrotado (Bush Jr. na sua 1ª "eleição")? Ou o tribunal de Honduras que depôs o presidente constitucional Manuel Zelaya? Ou o tribuna paraguaio que depôs o presidente legítimo Fernando Lugo? Qual será seu papel no golpe eleitoral?

Unknown disse...

Só ficarão satisfeitos se o Machão der empurrões e espancar a presidenta Dilma.
Aliás para isto falta pouco. Lei Maria da Penha neste Aécio de Tal

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração