Pages

domingo, 14 de setembro de 2014

Marina joga bolinha de papel na própria cabeça para se fazer de vítima.

http://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,marina-se-diz-atacada-por-ser-filha-de-pobre-preta-e-evangelica,1560003
A candidata Marina Silva (PSB) parou de falar sobre seu programa de governo demotucano que gera desemprego e arrocho nos salários e aposentadorias, para ficar falando só de si mesma, se fazendo de vítima.

A última foi dizer que "é atacada por ser filha de pobre, preta e evangélica".

O problema é que ninguém (nem Aécio) atacou ela dessa forma deplorável e preconceituosa.

Pelo contrário, todo mundo repudia esse tipo de ataque. Dilma e Lula são insuspeitos, porque vivem e governam voltados para a dignidade dos mais pobres e para superar a pobreza. Porque combatem o racismo com todas as ações possíveis, e tratam com igual respeito todas as religiões. Aécio também não ataca nos termos ditos por Marina, porque seria politicamente incorreto.

Marina é que está trazendo para a campanha eleitoral estes preconceitos pela primeira vez.

Então é ela quem está espalhando um discurso preconceituoso contra si mesma, e querendo colocar a culpa nos outros.

Equivale a quem finge ser agredida para dar queixa contra uma pessoa inocente que ela quer prejudicar.

Simulações de agressões para colocar culpa em adversários não é novidade em campanhas eleitorais. Em 2010 José Serra (PSDB-SP) foi atingido pela bolinha de papel e se internou em hospital particular de um médico amigo "para tirar uma tomografia da cabeça", como se tivesse sido atingido por um objeto pesado, para culpar quem protestava contra ele.

Não colou porque os vídeos só comprovaram que o tucano foi alvejado apenas pela bolinha de papel. O Jornal Nacional da TV Globo tentou contratar um perito para salvar Serra, e foi um vexame.

Agora, a declaração auto-preconceituosa de Marina é como se ela atirasse uma bolinha de papel na própria cabeça para colocar a culpa nos oponentes.

Marina está fugindo ao debate

Dilma faz o bom debate sobre dois caminhos diferentes de governar. E esse debate precisa ser feito para o eleitor saber no que está votando e decidir, nada tendo a ver com ataques pessoais ou baixarias.

Um é o jeito de Dilma e de Lula de elevar todo brasileiro para a classe média para cima, na renda, na escolaridade, na qualidade de vida. Outro jeito é o que está está escrito no programa de governo de Marina e que Aécio, como bom tucano, assinaria embaixo, dando plenos poderes à mão invisível do mercado, reduzindo direitos coletivos do cidadão e dando mais poderes aos bancos.

Baixarias são as desqualificações que Marina tenta fazer dos 12 anos de governo de Dilma e de Lula.

4 Comentários:

Alexandre Costa disse...

Todo cuidado é pouco. A candidata foge do debate. Temos que traze-la para debater os temas que lhe são caros, a exemplo do jatinho pirata que conduzia o candidato Campos.

Carlos Ribeiro disse...

O objeto que atingiu a careca do Serra, pesava 2kg, segundo seu vice, Indio da Costa. A Marina pensou que o PIG faria todo o trabalho por ela. Ela não conhece o PIG!

Monica Braga disse...

Essa Bruxa tinha que está no manicômio judiciário

ROSALVO ALMEIDA disse...

ESTA SENDO ATACADA NÃO MAS COMBATIDA E DESMASCARADA POR ESTAR COM ESPECULADORES INTERNACIONAIS, DEFENDER POLÍTICA NEOLIBERAL ETC

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração