Pages

domingo, 4 de maio de 2014

Quando maus tratos a José Dirceu pelo Judiciário vira ferramenta de marketing político oposicionista


Nenhum jornalista sério gosta de dar confiança para teorias de conspiração. Mas e quando o que parece teoria começa a se materializar na prática, inclusive com documentos?

É o que estamos vendo no caso da execução penal de José Dirceu, decorrente da Ação Penal 470, o vulgo "mensalão".

Do ponto de vista jurídico nada justifica que ele, sentenciado a cumprir pena em regime semi-aberto, esteja há cinco meses cumprindo pena em regime fechado, sendo que tem oferta de trabalho há meses a espera de ser autorizada. Principalmente porque todos os outros sentenciados ao mesmo regime, do mesmo julgamento, já tiveram suas autorizações de trabalho deferidas e estão trabalhando, menos José Dirceu.

Se não há explicação jurídica consistente, sobram teorias sobre motivos políticos para submetê-lo à este mau trato.

Uma versão falada é que Dirceu estaria sendo usado como isca para uma armadilha eleitoral. Sua situação de injustiçado visaria atrair o Partido dos Trabalhadores, seus principais líderes e até a presidenta Dilma Rousseff a se solidarizarem e manifestarem publicamente indignação com a violação de direitos. E isso seria explorado para requentar o noticiário do "mensalão" ligando-o aos candidatos do PT para desgastá-los nas eleições de outubro. Haveria deturpações no noticiário, confundindo propositalmente preocupações humanitárias com defesa da impunidade, ilações sobre cumplicidade, e todo tipo de sensacionalismo com fins de campanha política negativa que marcou a cobertura do noticiário do "mensalão" desde 2005.

Teoria da conspiração? Pode ser que sim, mas também pode ter fundo de verdade, pois há bastante lógica.

O que parecia teoria começa a ganhar ares assustadores de realidade, quando a promotora Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa, da Vara de Execuções Penais de Brasília, a pretexto de investigar o boato de uso de telefone celular por Dirceu no presídio, pediu a quebra do sigilo telefônico justamente da área do Palácio do Planalto, sem explicitar o alvo, informando de forma dissimulada apenas as coordenadas geográficas.

Já causa estranheza o método de investigação. Ter acesso apenas ao registro de chamadas telefônicas na área do presídio, o que seria mais lógico para começar, sequer levaria a qualquer conclusão. Mesmo que encontrasse uma ou mais chamadas no dia e na hora em que houve o boato sobre a ligação, seria impossível atribuir a autoria à Dirceu, já que não existe gravação de conversas, não existe testemunhas, nem nada que confirme o boato. Qualquer pessoa livre na área do presídio, seja um funcionário, seja um advogado, seja um visitante poderia ter recebido ou dado uma chamada. O pedido do Ministério Público é inócuo para os fins pretendidos oficialmente da investigação.

Se o pedido já é inócuo na área do presídio, faz menos sentido ainda ainda bisbilhotar toda a relação de chamadas na área do Palácio do Planalto, sede da Presidência da República. Como se não bastasse, as antenas de telefonia que servem ao Palácio do Planalto, também são usadas para realizar chamadas do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal.

A petição inusitada, provocou queixa ao Conselho Nacional do Ministério Público pela Advocacia Geral da União. A promotora justificou o pedido alegando que seria fruto de denúncias anônimas. O presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, responsável por apreciar o pedido da promotora, em vez de rejeitar sumariamente a petição pela falta de razoabilidade, ainda deu prosseguimento, encaminhando Procurador-Geral da República Rodrigo Janot para dar um parecer. Este manifestou-se totalmente contrário ao pedido por não atender sequer à lei e por trazer conotação de espionar um poder da República, sem qualquer fundamentação para isso.

Não gostamos de teorias de conspiração. Mas tem rabo de conspiração, pegadas de conspiração, corpo de conspiração, jeito de conspiração, cheiro de conspiração, então como não pensar que houve conspiração?

6 Comentários:

Raul disse...

Creio que a situação dos presos políticos do mensalão do PT realmente estão sendo utilizados como marketing. Então é hora do PT fazer o mesmo, já que não tem jeito e fazer o mesmo. Afinal no combate a corrupção é o único partido que aparelhou o STF para ser "isento" e cortar na própria carne, sacrificando 3 importantes lideranças políticas da sua base. Nenhum ouro governo fez isso e é preciso tirar proveito político isso explorando todos os fatos políticos que envolvem o PSDB em todos os estados, mostrando a população que o PT é ´único partido que indicou juízes para o STF com isenção a ponto de não isentar seus próprios quadros mesmo que num julgamento inquestionável e de exceção!..

Justino disse...

Enquanto o Senado não promover o impeachment daqueles que não possuem NOTÁVEL SABER JURÍDICO E REPUTAÇÃO ILIBADA jamais acabará com esse festival de baixarias protagonizados pelo senhor JOaquim Barbosa.

Luiz Mattos disse...

É o que digo na net,provocam a espera de uma reação,inclusive creio que esperam a morte de Genoíno na prisão,estes vagabundos não tem limites,graças a DEUS novembro está chegando e o capitão do mato,devido sua arrogância,não aceitará se submeter a quem o contestou.

José Carlos Lima disse...

A atuação de Barbosa como ministro-carcereiro está dentro dentro dessa estratégia, agora dá prá entender pq Barbosa arregimentou para si a condição de carrasco nesta ação, é que dá mais impacto do ponto de vista do marketing chamadas como de 1 de Maio no Estadão: Barbosa manda Genoino de volta para a Papuda. Num processo normal não seria Barbosa e um juiz da VEP que tomaria esta atitude, o que não daria tanto impacto. E como se sabe, Barbosa fez de tudo para se firmar como anti-PT...tudo se encaixa...Baseado nessa farsa querem eleger Silvio Berlusconi

Batista Nogueira Gasal disse...

Esta covardia do PT ta me irritando. Por que cargas d'agua nao enfrenta esta maldita direita, e deixar este romantismo de lado, sonhando com liberdade do controle remoto.

Vinícius disse...

Percebo claramente que muitos comentários em blogs, como o do Sr. Batista Nogueira Gasal, reforça a opinião exposta no site.
São pessoas que se dizem decepcionados com o PT, Dilma ou Lula. No fundo querem é provocar e estimular que parte de eleitores do PT se coloquem contra o judiciário.
O PT e seus líderes estão corretos em ter prudência.
O forma de julgamento fugiu á qq lógica que possamos discutir racionalmente nos espaços da mídia tradicional.
Felizmente, iremos reescrever essa história.
Abraço Dilmais de apertado a todos!

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração