Pages

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Por que Renan Calheiros foi o escolhido de Barbosa?


Joaquim Barbosa quando comunicou a Renan Calheiros (PMDB-AL) sua aposentadoria do STF em junho.
Joaquim Barbosa comunicou também a Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

O presidente do STF, Joaquim Barbosa, visitou a presidenta Dilma e depois os presidentes do Senado, Renam Calheiros (PMDB-AL) e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para se despedir, dizendo que se aposentará do STF no próximo mês.

Na prática, Barbosa escolheu o senador Renan Calheiros, presidente do Senado, para comunicar à imprensa seu gesto.

A presidenta Dilma, como de praxe, não comenta assuntos falados em audiência que não sejam de sua alçada.

Já o senador Renan Calheiros, com certeza, foi autorizado por Barbosa a anunciar a decisão. Aliás, o presidente do STF não fez segredo. Falou na frente de outros senadores que estavam presentes e posou para fotos todo sorridente.

Se quisesse segredo, teria comunicado a sós, em sinal de deferência à outros poderes, mas pediria sigilo até ele próprio anunciar a decisão, seja em entrevista, seja no STF, seja em comunicado à imprensa.

O gesto de Barbosa foi político. De maior aproximação com a bancada do PMDB do Senado. A pergunta é: Por quê?

Convenhamos que, para um pretenso paladino da moralidade, a imagem de Renan, inclusive a propagada pela própria mídia, não seria a melhor escolha no momento.

Uma pista é que todos os partidos que disputam eleição com o PT, mesmo aliados de hoje, tem uma dívida política de gratidão com Barbosa, por terem em seus quadros muito mais casos de corrupção de verdade, com provas, mas nunca houve de Barbosa a determinação punitiva que ele dedicou ao PT. Basta ver o mensalão tucano. Relatado por Barbosa, terminou em pizza no STF, sendo enviando para a primeira instância. O mesmo aconteceu com denúncias contra quadros do PMDB, do DEM e de quase todos os outros partidos.

A atuação de Barbosa no STF só desgastou o PT. Foi um samba de uma nota só, ou melhor, de um partido só. Contribuiu para a campanha de descrédito na política, perpetrada pela imprensa demotucana, voltada para dar um golpe hondurenho ou, pelo menos, para anular parte dos votos de opinião que iriam para o PT e PCdoB, impedindo os partidos mais transformadores de crescerem mais.

O resultado disso favorece a reeleição de deputados e senadores das oligarquias políticas em seus estados, em vez de favorecer a renovação na política.

Outra pista é que o sucessor de Barbosa no STF passa pelo Senado. A presidenta Dilma indicará um nome, mas até para indicar precisa sondar se a maioria do Senado aprovará. Ultimamente, sem apoio do PMDB do Senado, dificilmente algum nome conseguiria ser emplacado para o STF.

Uma terceira pista, que hoje ainda são boatos, seria um suposto interesse de Barbosa em vir a ocupar algum cargo público no exterior, como na embaixada de Paris, consulado em Miami, ou em órgãos como a Unesco das Nações Unidas. Se Aécio fosse presidente, muito provavelmente o despacharia, como gratidão pelos danos causados ao PT e pela pizza no mensalão tucano. Como as chances eleitorais não andam boas para Aécio, um apoio peemedebista viria a calhar, inclusive com o argumento de que Barbosa teria aberto caminho para retomar a normalidade no STF, encerrando o período de caça às bruxas do PT, com sua aposentadoria precoce.

Há quem diga que é outra coisa. Barbosa apenas estaria ingressando na política e já articulando suas futuras alianças. Ele não pode disputar a eleição de 2014, pois teria que ter saído do STF em abril para isso.

As outras pistas, aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

4 Comentários:

Brasil esperança disse...

Voce ja pensou na possibilidade de haver severas manifestaçoes da extrema direita para desestabilizar o país e os militares intervirem mais nao ocupar a Presidencia, colocando o Batman BARBOSA PARA SER O PRESIDENTE? ACORDE

Ignez disse...

Concordo com comentário feito no CA : "Futuro ministro do meio-ambiente: não prendeu um só tucano." Kkkkkk. Já vai tarde. Por que escolheu Renan? Isso já são outros quinhentos....

augusto disse...

A atuaçao do indigitado, desde 2007 -foi tao especifica, foi tao planejada nos detalhes políticos e no timing midiatico e eleitoral que havia de seu lado, uma assessoria,forçosamente a)de midia b) politica de um experiente c) outro(s) assessor(es) com passado de stf.
Isso por um lado.
E alguma promessa -tácita ou nao - mas solida de recompensa por outro lado,que nao me entendam mal: esta recompensa nao precisaria ser necessariametne em forma financeira., mas sim grande.
Então esta saida, nao seria apenas a fuga de um mal maior, é boa pra eles. O que nao impede que o seja para o partido que o indigitado tentava destruir.

PAULO HENRIQUE disse...

Barbosa se prepara para mais uma lambança!

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração