Pages

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Finalmente PT consegue levar tucano para o banco dos réus


Ex-secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo em 2006,afirmou que PT estaria por trás dos atentados terroristas cometidos em 2006

Por maioria de votos, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou, nesta quinta-feira, 27, abertura de ação penal ao dar provimento a recurso de denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE) contra Saulo de Castro Abreu Filho, ex-secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo em 2006.

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) havia rejeitado a denúncia do MPE e, com isso, negou a abertura de processo contra Saulo pela entrevista dele à Rede Bandeirantes de Televisão, quando afirmou que o "Partido dos Trabalhadores (PT) estaria por trás de atentados terroristas praticados pela organização criminosa conhecida como Primeiro Comando da Capital (PCC), crimes que visavam desestabilizar o governo do estado de São Paulo", durante o ano eleitoral de 2006.

De acordo com o relator da matéria, ministro Arnaldo Versiani, a conduta do ex-secretário, no entanto, "se reveste de tipicidade e autoriza a instalação da ação penal com o recebimento da denúncia". Disse que o artigo 325 do Código Eleitoral estabelece que é crime eleitoral "difamar alguém, na propaganda eleitoral, ou visando a fins de propaganda, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação".

O ministro explicou que, certamente, não houve ato de propaganda eleitoral, mas entrevista de televisão concedida à Rede Bandeirantes, pelo então secretário, em 7 de agosto de 2006, para prestar esclarecimentos sobre acontecimentos que estavam ocorrendo na cidade de São Paulo.Informações da  agência Estado

Para entender o caso

PCC foi foi criada em 1993 dentro das cadeias paulista

A facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), a maior e mais organizada do país hoje, foi criada por oito presos, em 31 de agosto de 1993, no Anexo da Casa de Custódia de Taubaté (130 km de SP), o Piranhão, tida naquela época como a prisão mais segura do Estado.

Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, é o chefe do PCC (Primeiro Comando da Capital). Ele está preso por roubo a bancos.

Em 12 de maio de 2006, São Paulo presenciou uma histórica onda de ataques contra sua força de segurança. Atribuídos ao PCC (Primeiro Comando da Capital), a violência gerou pânico e, no dia 20 do mesmo mês, o número de mortos chegou a 493.

4 Comentários:

Pitanga e Araçás disse...

Bravíssimo PT!
Vamos barrar o golpe, colocando a boca no trombone.
No blog Tijolaço.com, de Brizola Neto, está disparando uma Campanha da Legalidade conclamando a todos à defesa das liberdades democráticas.
Vamos nos unir, todos os patriotas e partidos progressistas em torno da defesa da Legalidade no processo eleitoral!
É Dilma 2010 e não tem choro!
Maria Lucia

Armando disse...

Esse senhor Saulo é simplesmente um fascista a serviço do atraso e da barbárie.

armando do prado

Yacov disse...

E mais uma vez o sacripanta do Marco Aurélio Mello (?), o primo do Collor, foi contra a abertura da ação penal. Disse que a entrevista do Saulo, mesmo acusando o PT de envolvimento com o PCC sem provas, não teve intenção eleitoral e tampouco foi difamatória, ele apenas tentava esclarecer a opinião pública, no programa em questão e não acusou a ninguém pessoalmente... FRANCAMENTE!!! Esses sr. acha que engana a quem??? E está a serviço de quem??? Do esclarecimento dos fatos tenho certeza que não é.

"O BRASIL DE VERDADE não passa na globO - O que passa na gloBO é um braZil para TOLOS"

humborges disse...

Poderiam me esclarecer, em relação aos 493 mortos citados no post, quantos foram mortos pelo PCC, quantos por desconhecidos e quantos foram mortos pela polícia do PSDB?
Quantos praticaram crimes e quantos eram inocentes?

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração