Pages

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Violência da PM do tucano Alckmin em protestos contra Temer repercute no exterior




Os protestos contra o presidente Michel Temer neste domingo (4) repercutiram na imprensa estrangeira. O Deutsche Welle, em matéria com o título "Protesto contra Temer em SP termina com violência policial" (na versão do portal em português), chamou a atenção para a ação da PM paulista contra o protesto que tinha transcorrido de forma pacífica, com a presença de crianças e idosos. A polícia atirou bombas de efeito moral, jatos d'água e balas de borracha "logo após fim da marcha que reuniu 100 mil pessoas", por "suposta ação de vândalos".

"O maior protesto contra o presidente Michel Temer desde o impeachment de Dilma Rousseff terminou com violência policial neste domingo (04/09) em São Paulo. Segundo relatos de manifestantes e jornalistas que cobriram a passeata, policiais lançaram bombas de gás lacrimogêneo, jatos d'água e atiraram balas de borracha contra a multidão no fim do ato", diz a matéria do DW.

O portal alemão destacou a fala de uma das manifestantes. "Eles [policiais] querem causar a imagem de que nós, manifestantes, somos os ruins. Mas eles que começam". A estudante estava no ato com o avô de 90 anos. "Moramos aqui perto e viemos porque estava pacífico. Eles jogaram bomba e meu avô tem dificuldade de locomoção."

Os efeitos da ação policial também ganharam destaque no DW, como o caso de cinco pessoas que tiveram intoxicação por gás, incluindo uma pessoa com câncer de pulmão, além de feridos por estilhaços de bomba e tiros de borracha.

"O motorista de um ônibus coletivo foi atendido por irritação nos olhos devido às bombas de efeito moral e uma passageira entrou em pânico. Entre os feridos estão dois jornalistas", escreveu o DW. "Um repórter da BBC Brasil que filmava agentes lançando bombas contra manifestantes no bairro de Pinheiros sofreu golpes de cacetete no braço, mão, peito e perna direita e foi chamado de 'lixo'."

A emissora canadense CTV News e o Miami Herald publicaram nota da The Associated Press, destacando o confronto dos policiais contra manifestantes, após a saída de Dilma Rousseff do comando "da maior nação da América do Sul".

O mexicano La Jornada, em matéria intitulada "Decenas de miles exigen en Sao Paulo y Río de Janeiro la renuncia de Temer", noticiou que a PM de São Paulo utilizou gás lacrimogênio para dispersar os manifestantes e que as autoridades não divulgaram números de participantes dos atos.

Vídeo com destaque na capa do The Huffington Post falava sobre os protestos violentos que ocorrem no Brasil desde o impeachment de Dilma Rousseff. As imagens mostram manifestantes caminhando, gritando palavras de ordem como "É golpe" até que aparecem barulhos de bomba e correria.

O jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung também falou sobre os protestos contra Michel Temer, destacando que o de São Paulo atraiu milhares de pessoas.

1 Comentários:

Jose Eduardo da Mota Marinho disse...

Como o grito de fora Temer não está sendo ouvido, devemos agora gritar fora Temer com seus fascistas.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração