Pages

quinta-feira, 17 de março de 2016

William Bonner comete gafe e chama Dilma de Fernando Henrique Cardoso


O apresentador do Jornal Nacional Willian Bonner cometeu, na noite desta quarta-feira (16), uma gafe ao trocar o nome da presidente Dilma Rousseff pelo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A troca aconteceu durante um flash no plantão, quando Bonner leu a nota oficial da Presidência repudiando o grampo feito pela Polícia Federal na conversa com o ex-presidente Lula.

"...esta foi a nota divulgada pelo presidente Fernando Henrique... pela presidente Dilma Rousseff sobre a conversa que ela manteve com o ex-presidente Luiz Lula..", concluiu entre risos e constrangimento.

Brasil ameaçado. Dilma grampeada

A divulgação do teor da conversa de um presidente da República é um grave precedente na área jurídica do Brasil. A prerrogativa de foro dá ao presidente direito de ter seus diálogos analisados apenas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Em nota, a Presidência já anunciou que "todas as medidas cabíveis serão adotadas para a reparação da flagrante violação da lei e da Constituição."

Num país onde as regras e leis são atropeladas, a segurança institucional fica abalada, e o reflexo social é imediato.

2 Comentários:

Aurea pires disse...

Lula e Dilma serão sempre heróis brasileiros. Numa nação onde nunca antes familias pobres tinham sido se quer enxergadas a ideologia de um homem comum, LULA, lançou não só um olhar de respeito mas impôs á elite antes sempre favorecida que a pobreza se dissipasse, que um nordestino pudesse erguer seu diploma com orgulho, que pelas manhãs milhares de crianças pudessem forrar seus estômagos decentemente, que mães sofridas pudessem sonhar com um futuro para seus filhos, que o acesso a educação fosse de verdade e não uma utopia... Eu, filha de agricultores, nasci em um Brasil onde não era permitido, sonhar, falar ou agir. Não tínhamos nem a coragem de pensar que um dia poderíamos estudar, nos formar, vencer... E hoje vejo concreto, tanto na minha vida como de muitos brasileiros, o sonho da mudança, do fim da opressão e de andarmos de cabeça erguida.
Áurea Pires, 32 anos, nordestina, filha de agricultores, pedagoga,psicopedagoga e turismóloga.

Greice K disse...

Vamos para as ruas
Vem bala de lá
Vai bala de cá
Não vamos baixar a Guarda
Morreremos pela causa se for necessario
Não ao golpe
Não a mídia manipuladora

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração