Pages

quarta-feira, 9 de março de 2016

Bomba: matéria da Helena sela o fim da revista Veja.


A Helena fez uma matéria bomba para Rede Brasil Atual publicada na 6a. feira, relativa à suposta delação de Delcídio do Amaral. Mas o "sequestro" do presidente Lula acabou por deixar a notícia em segundo plano, passando despercebida.

Voltamos à ela hoje, porque voltou à ordem do dia no noticiário e porque vai além disso. Sela o fim da revista Veja.

Lembram da capa mentirosa da Veja que saiu na quinta-feira antes do domingo da eleição no segundo turno de 2014? Falava que na terça-feira anterior o doleiro Alberto Youssef teria dito em delação premiada que Lula e Dilma sabiam da roubalheira de diretores corruptos da Petrobras.

Quando o depoimento oficial de Youssef feito naquela terça-feira veio a público, ele nada falou contra Dilma e Lula. O que ele falou de verdade exatamente naquela terça-feira era ter conhecimento de que Aécio recebia propinas de Furnas. E isto está documentado oficialmente nos termos de delação premiada.

Ou seja, a Veja inverteu a capa, o que quase resultou em um golpe eleitoral: o delatado foi Aécio, e a revista publicou como se fosse Dilma.

Já seria grave se fosse só uma "barrigada" jornalística, mas a coisa pode ser bem maior quando a revista serviu como panfleto de boca de urna para Aécio contra Dilma.

Qual seria a diferença de votos se a capa da Veja tivesse falado a verdade: "Youssef diz que Aécio recebia propina de Furnas"?

O advogado de Youssef naquela época era Antonio Augusto Figueiredo Basto, que o próprio Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, em entrevista na Folha de São Paulo, disse que seria a suposta fonte da Revista Veja, com objetivos eleitorais, lembrando das ligações do advogado com governos do PSDB.

Agora o mesmo Antonio Augusto Figueiredo Basto advoga para Delcídio, e saiu aquela suposta delação premiada na revista IstoÉ. Cabe à PF e ao MPF esclarecer quem plantou aquela "delação" (que tem forte cheiro de ser falsa, inserindo artigos de revistas, e excluindo o que de fato pode vir a ter de real na delação).

Mas a Helena captou a semelhança do mesmo "modus operandi" que ocorreu na capa da Veja. Se em 2014, a capa da revista saiu em tom sensacionalista e de desespero, com a delação invertida, a Helena não descartou que na revista IstoÉ acontecesse o mesmo. Hoje os jornais confirmam que aconteceu: Delcídio delatou Aécio.


Não acuso quem quer que seja sem provas. Até porque, sem investigar, é difícil separar quem usou e quem foi usado, mas a PF e o MPF tem o dever para com a nação de investigar o que tem forte cheiro de ser uma organização criminosa que atua em cima de delações premiadas, e com fins lucrativos e de lesa pátria.

Organização que pode ter políticos, banqueiros, investidores, delatores, executivos, lobistas e agentes estrangeiros e barões da mídia envolvidos.

Por trás dessa organização criminosa da delação premiada estamos assistindo golpes eleitorais para colocar governos dóceis a interesses do grande capital, golpes de estado para derrubar a presidenta eleita que contraria interesses estrangeiros no pré-sal. E golpe para surrupiar bilhões do povo brasileiro. Seja manipulando cotações na Bolsas de valores e no dólar. Seja conspirando pela entrega do pré-sal. Seja conspirando para a 6a. potência econômica do mundo perder a soberania sobre sua economia, na forma de Banco Central "Dependente" exclusivamente do capital especulativo apátrida e globalizado.

Não deixe de ler a reportagem que pode marcar o fim da revista Veja e da carreira de alguns políticos golpistas ligados à banqueiros e investidores:

4 Comentários:

dilamar santos disse...

Poderiam também verificar o que está acontecendo com a suposta Venda da RBS sta.Catarina, do Grupo RBS gaúcho. A RBS tem o monopólio de TODO jornalismo, escrito,falado e televisado do sul.

Gileno Araújo disse...

Sem falar de especulação financeira, pois notícias contra o governo fazem a bolsa subir. Virou um bom negócio.

Jose Augusto disse...

#LulaMinistroJá #AceitaLula

Anita Salles disse...

Cadê o Juiz Moro....

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração