Pages

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Irmã de ex-amante de FHC é funcionária fantasma de Serra



A irmã da jornalista Mirian Dutra Schmidt, Margrit Dutra Schmidt, trabalha de forma irregular no gabinete do senador José Serra (PSDB-SP). Pelas regras do Senado, ela teria de cumprir o horário de nove horas diárias na Casa.

Contudo, o próprio gabinete do tucano confirmou que ela não registrava presença no local. "Ela trabalha para o senador como consultora. Ele solicita trabalhos e ela produz", disse o chefe de gabinete de Serra, Marcos Köhler.

Mirian, que foi amante do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso nos anos 1980 e 1990, virou notícia esta semana após dizer, em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo", que recebia dinheiro do tucano no exterior por meio de um contrato fictício.

Sua irmã Margrit ocupa o cargo em comissão de assistente parlamentar júnior, com remuneração básica de R$ 9.456,13 e salário líquido de R$ 7.353,14 em dezembro de 2015, segundo consta no portal de transparência do Senado.

Köhler, porém, não explicou por que não foi formalizada a dispensa de ponto de Margrit, procedimento estabelecido no Senado em 2009. Serra não se manifestou até a conclusão desta edição. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

FANTASMAGÓRICOS

Indagado para o blog de Lauro Jardim sobre uma funcionária fantasma do seu gabinete, Margrit Dutra Schmidt, "num primeiro momento" José Serra "afirmou não saber ao certo" se a sua fantasma "trabalha ou não em casa". Informado de que ninguém no seu gabinete sequer a conhece, disse "imaginar" que ela trabalhe em casa. Mas ninguém no gabinete soube, jamais, de algum trabalho dela. Então Serra decidiu que "ela trabalha" em casa.

O trabalho de funcionário do Senado "em casa" é ilegal. A cessão para tal, por parte do senador, também é.

Serra é um dos mais ferrenhos cobradores de "ajuste fiscal", ou seja, do corte de gastos públicos. Desde, percebe-se, que não atinjam os seus gastos de dinheiro público, mesmo para fantasmas que, aliás, com o Congresso funcionando, estão na República Dominicana. Talvez Serra tenha casa por lá.
Margrit Dutra Schmidt era casada com um dos mais antigos e vorazes lobistas de Brasília, Fernando Lemos. Parente próximo de Roberto Campos, inteligente e engraçado, já era lobista de Mario Andreazza, entre outros, nos tempos de Figueiredo, abastecendo muitos jornalistas em aparente segredo ou às claras mesmo. Aparente porque segredos, em tal fornecimento, não eram do seu agrado.

A funcionária fantasma, "lotada" em sucessivos gabinetes do PSDB, foi acolhida por José Serra porque o senador Álvaro Dias demitiu-a, quando assumiu a liderança e identificou-a. Álvaro Dias deixou há pouco o PSDB.

1 Comentários:

Victor Marian disse...

Que absurdo Fernandinho !!! Quer dizer que depois de 20 anos o Sociólogo que sustentou o filho na Europa com dinheiro suspeito e desembolsou 200 mil euros para comprar um apartamento e pediu caridosamente uma empresa para repassar dinheiro a ex amante , ainda descobriu que o filho não é do Sociólogo e sim do Biólogo . Que absurdo !!! Fernandinho vc será inocentado pois usou uma empresa para passar remerssas para o exterior por uma causa nobre . Assumir o filho dos outros !!! Que exemplo bom !!! FHC o benevolente !!!

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração