Pages

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Juízes suíços impediram tentativa de barrar novos envios de documentos ao Brasil



 Documentos obtidos pelo Estado confirmam iniciativas para tentar impedir a transmissão de dados relacionados à Operação Lava Jato ao Brasil. No dia 15 de julho, os juízes federais suíços Stephan Blättler, Patrick Robert-Nicoud e Nathalie Zufferey Franciolli, do Tribunal Federal Suíço, derrubaram uma ação de pelo menos três pessoas de reverter o congelamento de suas contas.

Os nomes não foram revelados. Os juízes federais suíços fazem referências à Petrobrás e à Lava Jato. Eles utilizam a letra D para se referir ao nome da empresa brasileira sob investigação.

"Várias pessoas dentro da empresa ‘D’, de suas filiais assim como partidos políticos e empresas com relação com a ‘D’ são alvos de uma investigação", garantiu o julgamento. "Entre as pessoas está ‘E’ e seus dois filhos. ‘F’ e ‘A’ também são alvos da enquete brasileira", confirma o documento.

Uma vez mais, as letras se referem a indivíduos sob suspeita, mas não representam suas iniciais. Eles tentaram impedir o congelamento de seus ativos na Suíça, sem sucesso.

Também em julho, os juízes federais suíços derrubaram mais um recurso de duas pessoas que acionaram a Justiça contra o bloqueio de seus bens, relacionados com a Lava Jato.

A investigação havia sido aberta em 4 de setembro de 2014 por lavagem de dinheiro. "No mesmo dia, foi solicitado ao banco D. SA de Genebra a produção da totalidade da documentação bancária relativa a conta n.º 1 aberta no nome de A. Corp, tendo B. como detentora de direitos econômicos", indicou o documento. As letras D, A e B se referem a pessoas e empresas cujos nomes ainda não podem ser revelados. Mas não se referem a suas iniciais.

No dia 2 de março de 2015, tanto a A.Corp como B. "formaram um recurso", que acabaria sendo derrubado. (As informações são do jornal O Estado de S.Paulo)

2 Comentários:

Maristela Farias disse...

importante seria sabermos quem são os que estão por trás dessa falcatrua

Joacy de Souza disse...

Por que não dar nomes aos bois ? A verdade prevalecerá !

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração