Pages

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Joaquim Barbosa: TCU é um playground de políticos fracassados



TCU e um órgão com as virtudes extirpadas, um playground de políticos fracassados", afirma o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal •

 O TSE, segundo o ministro aposentado, é composto por "advogados que tocam suas bancas de advocacias durante o dia e se tornam juízes à noite"

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa vê o Tribunal de Contas da União (TCU) como incapaz de produzir um julgamento que leve a um impeachment da presidente Dilma Rousseff por conta das pedaladas fiscais. Avaliação similar ele faz do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que para ele também não conduziria um processo de impedimento em razão de análise das contas da campanha de 2014.

 Não acredito em um Tribunal de Contas da União como um órgão sério de um processo desencadeador de tal processo. É um órgão com as virtudes extirpadas. Afinal, é um playground de políticos fracassados que, sem perspectiva em se eleger, querem uma boquinha. O TCU não tem estatura institucional para conduzir algo de tamanha gravidade - disse durante o 7o Congresso Internacional de Mercados Financeiro e de Capitais.

Para Barbosa, um impeachment só ocorre se houve uma prova clara que envolva diretamente a presidente, uma vez que é um processo que pode deixar uma série de marcas institucionais. "Impeachment é uma coisa muito séria que, se levada a cabo, a gente sabe como começa, mas não sabe como termina. É um abalo sísmico nas instituições. Tem que ser algo muito bem baseado, tem que ser uma prova cabal, chocante, envolvendo diretamente o presidente. Sem isso, sairemos perdendo. As instituições sairão quebradas", avaliou.

Caso se tenha essa prova, ele vê o STF como tribunal adequado para conduzir um processo de impedimento.

Barbosa defendeu o fim do financiamento de empresas a campanhas e partidos políticos. Para ele, essa relação é danosa ao país e à sociedade. "A alavancagem da economia pelo capitalismo do estado agrava esse modelo. Incentivadas pelo Estado, as empresas são convidadas a se aproximar do governo da situação em busca de privilégios. A tudo isso se soma um combustível explosivo, que é o sistema partidário brasileiro e seu financiamento. Eu sou contra o atual regime de financiamento privado da vida política porque, no fundo, elas fomentam essas relações profanas de conveniência", afirmou.

6 Comentários:

Cesar Henrique de Oliveira disse...

Caro meretrissimo rola bosta Joaquim Barbosa , por acaso houve provas cabais para condenar Genoino e Dirceu?

nadja rocha disse...

Porque divulgar uma opinião desse traidor da pátria que sacaneou com os maiores líderes petistas? Absurdo colocar esse verme em um post. Nada que ele disser interessa ao Brasil

Garcia disse...

Estranho o Barbosa falar sobre isso agora... Quando teve tempo e poder para dar fim a festa no playground de políticos fracassados, nada fez e nem se manifestou.

jony jo disse...

Ta falando tarde demais.
O JB eh um grande oportunista.

PAULO DE MACEDO disse...

Queiram ou não ele falou a verdade. A mesma coisa é nos tribunais de contas Estaduais. É uma corja em corrupção. Precisamos fazer uma reforma geral,na justiça , política, tribunais de contas. Chega de mordomias a custa do povo.

Jorge disse...

Falou o serviçal do PSDB e da Globo

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração