Pages

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Primeiro-ministro chinês vem ao Brasil com R$ 160 bi para investir no País


A imprensa, só publica notícias ruins, caos e desgraças do nosso País. É como se o Brasil e os Brasileiros estivessem falidos e nada mais desse certo

A oposição, de mãos dadas com Aécio Neves (PSDB), discursam todos os dias que o Brasil está em recessão. Se fosse verdade, por que os Chineses aplicariam 160 bi  por aqui?. A notinha  escondida, sem destaque, está na Folha
Li Keqiang, o premiê chinês, desembarca no Brasil na terça-feira (19) trazendo na bagagem um suculento pacote de projetos de cooperação, no valor total de US$ 53 bilhões (R$ 160 bilhões).

A cereja do bolo é a participação chinesa na chamada Ferrovia Transoceânica, que ligará a brasileira Ferrovia Norte-Sul à costa do Pacífico, no Peru. É um projeto de custo estimado entre US$ 4,5 bilhões (R$ 13,5 bilhões) e US$ 10 bilhões (R$ 30 bilhões).

A Transoceânica permitirá que o Brasil exporte pelo Pacífico soja e minério de ferro, dois dos seus principais produtos no comércio com a China, barateando o custo.

Mas a ferrovia não é nem remotamente o único projeto na bagagem de Li Keqiang. O que vai ser assinado em Brasília, na semana que vem, é um conjunto de 34 atos envolvendo principalmente investimentos em infraestrutura e no aumento da capacidade produtiva do Brasil. Levaria a cooperação entre os dois parceiros a um outro plano, além do comércio, que é o grande componente hoje.

Aumentar a capacidade produtiva do Brasil permitirá que o país "exporte mais aço e menos minério de ferro", diz o  embaixador José Alfredo Graça Lima, subsecretário-geral de Política 2 —no organograma do Itamaraty, responsável pelas relações com a Ásia.



2 Comentários:

Luiz Mattos disse...

A grobo vai chorar.

Adilson disse...

O Brasil precisa virar exportador de tecnologia ao invés de somente minérios e alimentos.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração