Pages

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Desespero na campanha de Eduardo Cunha leva seus aliados a "piscarem" e propor acordão recusado pelo PT.

A medida em que se aproximou a eleição para presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) só perdeu apoios e Arlindo Chinaglia (PT) só ganhou.

A turma do Cunha sentiu o golpe e piscou. Às vésperas do pleito, o deputado Sandro Mabel (PMDB-GO) procurou o ministro da relações institucionais Pepe Vargas para propor um rodízio, com Cunha presidindo a Câmara nos dois primeiros anos e o PT presidindo os dois últimos anos.

Claro que o PT não aceitou, e nem teria a menor lógica aceitar, primeiro porque a candidatura de Chignalia não é mais só do PT, pertencendo a vários partidos e que, na opinião de muita gente já está com cheiro de vitória. Segundo porque foi o próprio PMDB quem rompeu o acordo de rodízio que vigorou na última legislatura e ainda por cima impôs o nome de Cunha unilateralmente.

Aí a turma do Cunha, para não passar recibo de que estava fraquejando e com medo de perder, a ponto de propor acordo, espalhou o boato falso no PIG (partido da imprensa golpista) de que o PT é que teria feito a proposta. E tem gente no PIG que continua espalhando a mentira para favorecer Cunha, que se tornou o queridinho do PIG.

1 Comentários:

Frederico Fortes Binato disse...

Santa ingenuidade!!!

Frederico Almeida

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração