Pages

sábado, 6 de dezembro de 2014

STF exclui do processo do propinão tucano políticos do PSDB e do DEM


"Os promotores paulistas passaram seis anos sentados no processo do trensalão. Tiverem de ir à Suiça para ver o que é independência.".Mas, não vai dar em nada

 PF pede prisão de 33 do ‘trenzalão’ tucano. STF inclui ex-diretores tucanos de estatais paulistas, doleiros, empresários e executivos de multinacionais.

 Os políticos do PSDB e do DEM, porém, foram excluídos do processo pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

    A Polícia Federal (PF) concluiu o inquérito sobre o esquema de formação de cartel em licitações do sistema de trens e metrô de São Paulo, entre a segunda metade da década de 1990 e 2008, conhecido como ‘trenzalão’ tucano, por ter se estendido por várias administrações estaduais do PSDB em São Paulo. Os prejuízos aos cofres públicos são estimados em R$ 834 milhões.

Convencidos dos indícios contra os suspeitos, os delegados responsáveis pelo inquérito indiciaram 33 pessoas por envolvimento com o esquema. O inquérito foi enviado à Justiça Federal em São Paulo segunda-feira.

A relação dos indiciados por corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro inclui ex-diretores tucanos de estatais paulistas, doleiros, empresários e executivos de multinacionais. Os políticos do PSDB e do DEM, porém, foram excluídos do processo pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

As investigações indicam que empresas que disputavam contratos de construção, manutenção e compra de equipamentos para o sistema de trens e metrôs combinavam preços, formando um cartel para, com a participação de servidores, aumentar os valores cobrados.

Uma das empresas investigadas, a Siemens Brasil vem cooperando com as investigações, depois de ser indiciada na Europa. Ela tem fornecido ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) detalhes sobre o esquema, em troca de imunidade administrativa e redução de penalidades.

Em março, o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) já denunciara à Justiça 30 executivos de 12 empresas, acusados de envolvimento com fraudes em 11 contratos de licitações do Metrô de São Paulo e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Na época, o promotor de Justiça Marcelo Mendroni, do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Delitos Econômicos (Gedec), estimou que os prejuízos aos cofres públicos ultrapassavam R$ 834 milhões.

2 Comentários:

Renan Araújo disse...

Bem, a STF excluiu os tucanos do processo. Mas o que está fazendo o PT? esperando a imparcialidade da justiça? Será que o partido não vai acordar para o fato de que a intenção em encurralar o partido e a luta se trava no campo político, entenda-se na rua e não gabinetes? Como esse partido tem se acovardado, votei na Dilma, observa a ofensiva da direita e da mídia e o partido parece ser dirigido por um punhado de patetas ou de gente que não pode ir para o debate aberto porque tem o rabo preso.

Alberto Capucci disse...

E o PT vai ficar esperando que os ministros do STF se convertam? Ou vai propor ações concretas para animar a militância e enfrentar essa safadeza?

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração