Pages

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Prefeito do DEM diz que turista pobre não é bem-vindo na praia de Guarapari (ES)



Destino certo para milhares de mineiros que escolhem o Espírito Santo para aproveitar as praias todos os anos – foram 300 mil em 2013 –, uma das cidades mais procuradas pelos turistas, Guarapari pode ter novas “normas” para a entrada dos visitantes. Em entrevista à rádio CBN Vitória, nesta quarta, o prefeito Orly Gomes (DEM) disse que quer limitar o número de pessoas em casas de veraneio e receber turistas que gastem R$ 200 por dia.

“Precisamos de pessoas que venham com dinheiro para gastar e, assim, justificar os investimentos na cidade. Seria melhor ter 100 mil turistas com melhor poder aquisitivo, que frequentassem restaurantes, bares e ocupassem hotéis, que gerassem renda para a cidade, que gastassem R$ 200 por dia”, disse.

Com a expectativa de que entre o feriado de Natal e o Carnaval do próximo ano mais de 1 milhão de turistas passem por Guarapari, o prefeito propôs a adoção de regras para evitar a superlotação da cidade.

“Pretendemos normatizar as casas de veraneio, assim elas gerarão impostos. O excesso de pessoas em uma única casa é o que causa transtorno, como a falta de água. As casas terão que ter alvarás e serão fiscalizadas pelos bombeiros. A metragem quadrada terá que determinar o número de pessoas. A criação de uma microempresa seria uma das possibilidades, assim as casas pagariam impostos”, explicou. As medidas ainda não valem para 2015.

O prefeito da cidade, Orly Gomes, também disse que a cobrança de taxas para os ônibus de turismo está entre as medidas que podem ser adotadas para receber um turista com maior poder de consumo.

No entanto, Guarapari ainda deixa a desejar em alguns aspectos, como infraestrutura, segurança e opções de lazer. De acordo com o último levantamento feito pela Secretaria de Turismo do Espírito Santo, na avaliação de 807 turistas, para apenas 34,10% nada faltou ao destino escolhido durante o período de estadia na alta temporada de 2013. Enquanto 20,60% criticaram a falta de infraestrutura para atender o turista, 13,50% sentiram falta de mais opções de lazer e 8,60% esperavam mais segurança.

3 Comentários:

Eduardo Lima disse...

O que mais precisa de reforma neste país, depois da mídia, é a “justiça”. É preciso reduzir o número de recursos, acelerar os processos judiciais, eliminar as manobras jurídicas, confinar os juízes a seus papéis, restringir sua ação aos autos. Juízes, promotores e procuradores devem ser punidos severamente se atuarem de forma seletiva, atrasarem ou impedirem investigações. Toda essa sensação de impunidade, discriminação e seletividade que emanam da “justiça” brasileira atinge em cheio a Classe C e mudar isso é um dos passos que mais vai garantir a reconquista dessa parcela da população pelo governo. É sobre isso a nossa reflexão desta semana no link abaixo.

http://reino-de-clio.com.br/Pensando%20BR6.html

ernane souza dias disse...

tem que ser do Dem eles sempre fora assim

Gilson disse...

Deve ser do DEM mesmo, porque, aqui em Salvador onde o prefeito é do DEM (ACM Neto), provavelmente aqueles que visitarem podem receber cobrança de Taxa Respiração, porque é só o que falta.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração