Pages

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Marina parte para a baixaria. Dilma repudia e diz que Marina é ingrata com a militância do PT.



Marina Silva perdeu as estribeiras e partiu para a baixaria em sabatina do jornal "O Globo" na quinta-feira (11). Disse que as pessoas não confiam em um partido que colocou um diretor na Petrobras para "assaltar os cofres" da estatal (referindo-se a Paulo Roberto Costa, ex-diretor da empresa, preso pela operação Lava Jato da Polícia Federal).

Perguntada sobre esta declaração, durante entrevista coletiva, Dilma respondeu:
Olha, primeiro eu repudio com muita indignação esta declaração da candidata Marina, depois eu considero que a candidata Marina tem que parar de usar as suas conveniências pessoais para fazer declaração. Por que são conveniências pessoais? Ora, a candidata Marina ficou 27 anos no PT, todos os seus mandatos ela obteve graças ao PT, ao Partido dos Trabalhadores. Terceiro: dos 12 anos aos quais ela se refere, oito ela esteve no governo, ou no bancada no Senado Federal. Eu acredito que não é possível as pessoas terem posições que não honrem a sua trajetória política, e tentam se esconder atrás de falas. Eu acho que não medem o sentido dos seus próprios atos durante a vida. A militância do PT e a história do PT foram fundamentais para a candidata chegar onde chegou. Uma frase dessas mostra uma posição extremamente leviana e inconsequente. Eu lamento profundamente uma fala desse tipo.
Banqueira do banco Itaú.

Em outra pergunta, uma jornalista perguntou:

Neca Setúbal era considerada uma educadora, quando foi para ajudar, colaborar na campanha do Haddad, até de petistas. E agora ela está sendo tratada como banqueira, com sentido pejorativo. O que mudou?

Dilma respondeu:
Mudou, que ela está se comportando como banqueira. A Neca educadora é a Neca educadora. Agora, na medida em que eu sou herdeira do Banco Itaú e faço, e defendo uma política que beneficia claramente os bancos, que é a política de independência do Banco Central, de redução do papel dos Bancos Públicos, eu estou fazendo papel de banqueira. Eu não estou falando sobre educação, nem sobre criança e nem sobre creche.
.
Não dá para vestir as duas roupas, ou é uma ou é outra. Ou uma é a roupa verdadeira, e a outra é a fantasia. Agora, o que nós queremos dizer é o seguinte: nós queremos, que não é correto, colocar na defesa da política que dá poder similar do Legislativo, Executivo e Judiciário, que são os únicos poderes independentes da República.Dar o mesmo tipo de poder aos bancos, que a independência no Brasil é considerada para poderes. Quem são os três poderes independentes? Executivo, Legislativo e Judiciário. Mas ninguém é independente no Brasil, nenhum outro poder, os bancos, dentro do Banco Central, não terão independência. Não tem isto. Não é característico da Legislação Brasileira. Então, o que eu estou dizendo é que o que mudou é a atitude e a postura da pessoa, nada mais mudou, cada um de nós é o que é. Obrigada.

2 Comentários:

Odilon Nestor Pereira Sobrinho disse...

Seria lamentável se não fosse cômico, uma candidata defendendo claramente o interesse de Bancos Particulares, sabe claramente que não é bom para o povo, industrias e o próprio governo a fala e dela, sera que vai desmentir esta também ? "Agora, na medida em que eu sou herdeira do Banco Itaú e faço, e defendo uma política que beneficia claramente os bancos, que é a política de independência do Banco Central"

Dilma Coelho disse...

Acredito que esta acusação de osMarina é um caso de justiça, TSE, etc:
Marina Silva, afirmou hoje que o PT colocou Paulo Roberto para “assaltar” cofres da Petrobras. “A declaração dela (Marina) é leviana.
O PT precisa reagir.

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração