Pages

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Dilma foi a grande vencedora do debate na Band. Marina perdeu. Aécio foi apagado.



Há duas maneiras de analisar um debate eleitoral. Uma é pelas idéias, e cada um que tem afinidade com seu candidato naturalmente gosta do que ele diz. Outra é tentar olhar quem ganhou e quem perdeu votos.

Dilma foi quem se saiu melhor. Saiu maior do que entrou. Foram todos contra ela, e ela se defendeu muito bem e até contra-atacou em algumas respostas ferinas. Até jornalistas do PIG ficaram surpresos com seu bom desempenho. Surpreendeu para melhor. As críticas a ela já são conhecidas pelo eleitor em verso e prosa porque são marteladas todo dia na imprensa demotucana. A firmeza e inteligência nas respostas foi novidade para este eleitor desinformado, e isso faz balançar quem ainda não tem certeza sobre seu voto. Resumindo: ganhou votos.

Marina Silva (PSB) saiu menor do que entrou. Pela primeira vez foi cobrada a dar explicações. Só deixaram de fora a questão do avião fantasma. Foi cobrada na incoerência sobre "nova política" por Aécio Neves (PSDB), no rabo preso com banqueiros por Levy Fidelix (PRTB), no neoliberalismo econômico por Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (PSOL). Marina tentou confrontar Dilma e se deu mal, na questão do Mais Médicos, da reforma política, de recursos do pré-sal para educação e saúde.

Perdeu pontos ao chamar a banqueira Neca Setúbal, do banco Itaú, de mera educadora e compará-la a Chico Mendes. Defendeu uma elite arcaica anti-trabalhista. Fugiu de responder sobre a dívida bilionária em impostos do banco Itaú. Seu discurso agradou apenas "marineiros" e banqueiros, se é que agradou. Foi evasiva sobre propostas e compromissos, como costuma ser em suas entrevistas. Decepcionou o eleitor que procurava novidade na política. Perdeu votos.

Aécio não chegou a perder votos (até porque o que ele tem são os votos anti-Dilma, e Marina conseguiu se sair pior do que ele), mas também não ganhou. Se deu mal nos embates com Dilma sobre economia. Dilma pendurou o governo FHC no pescoço dele e disse que o governo tucano quebrou o Brasil três vezes. Além disso, Aécio pareceu estar falando no plenário do Senado e não para o telespectador. Por enquanto, ficou com os votos demotucanos que tinha.

Os nanicos se sobressaíram, por serem franco atiradores e terem o mesmo espaço dos candidatos favoritos, mas por não representarem expectativa de vitória, é improvável que atraiam muitos votos.

2 Comentários:

José Carlos Lima disse...

A pauta é o mensalão do PSB que pode ter matado Eduardo Campos. Até uma peixaria fantasma está envolvida no caso.

http://lexometro.blogspot.com.br/2014/04/coletanea-mensalao.html

Claudio Accioly disse...

A TRAGÉDIA QUE SE APROXIMA DO PAÍS SÓ TEM UMA FORMA DE EVITAR: LULA VOLTE! NÃO SE PODE BRINCAR COM UMA VITÓRIA DE MARINA: SERÁ PIOR QUE 1989 (COLLOR) E 1961 (JÂNIO): VOLTE LULA!

Postar um comentário


Meus queridos e minhas queridas leitoras

Não publicamos comentários anônimos

Obrigada pela colaboração