Pages

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Tucano FHC, planta cana-de-açúcar, cria gado e tem lavoura. Tudo dentro da cidade de Osasco SP


FHC tem agropecuária dentro de Osasco, cidade com área rural zero

No Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, na Receita Federal, a empresa tem como atividade principal o cultivo de cana-de-açúcar. As atividades secundárias são a criação de bovinos para corte e cultivo de outras plantas de lavoura.
O curioso é que a empresa está sediada na cidade de  Osasco, na Grande São Paulo, ou seja, não é uma área rural. E o mais curioso ainda é que, quando se faz uma busca no Google Maps, a imagem que  identifica o endereço  é uma residência  simples. Seria uma empresa de fachada?Nenhum dos quatro sócios mora em Osasco. O ex-presidente reside em São Paulo, uma filha reside em Brasília, outra no Rio de Janeiro, assim como seu filho.Antes de ser político, FHC nunca foi ruralista. Formou-se em Sociologia e sempre trabalhou como professor, até ingressar na  política. Continue lendo aqui

Dirceu outra vez



Sob suspeita, ex-ministro teve várias chances de fugir, mas escolheu ficar; por qual motivo, só ele poderá dizer

A prisão de José Dirceu foi a menos surpreendente de quantas a Lava Jato faz desde março do ano passado. Se justificada ou não, vamos saber quando os integrantes da Lava Jato apresentarem em juízo o que veem como provas convincentes. A carga pesada de acusações apenas verbais, feitas pelo procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, desde logo criou uma imprecisão sujeita a reparo histórico e atual. Foi quando definiu Dirceu como "o instituidor e beneficiário" do "esquema" de corrupção na Petrobras.

Dizê-lo instituidor é aliviar de um grande peso acusatório os empreiteiros e ex-dirigentes da Petrobras que têm feito delação premiada e, por isso, são chamados pelos componentes da Lava Jato de "colaboradores". Ainda que não seja por deliberação, a transferência de responsabilidades, concentrando-as em um só, é como um prêmio adicional à delação já premiada.

A corrupção na Petrobras investigada pela Lava Jato seguiu o "esquema" praticado há décadas pelas grandes empreiteiras nas licitações e acréscimos de custo, em contratos com estatais e administração pública. Se houve um "instituidor" do "esquema", seu nome perdeu-se na desmemória do tempo.

Caso o Ministério Público e a Polícia Federal se dessem ao trabalho de verificações retroativas, tanto encontrariam histórias de honestidade como de vidas enriquecidas a partir de passagem por um cargo alto na Petrobras. Mas, no Brasil, nem por curiosidade é acompanhada a evolução das condições de vida de políticos e ex-dirigentes públicos.

Na geração atual dos funcionários elevados a dirigentes corruptos da Petrobras, Pedro Barusco, que é tido como o mais inteligente dos delatores premiados, já explicou que vem desde meados da década de 90, ao menos desde 1997, as transações com a atual geração de dirigentes de empreiteiras.

Também resulta como prêmio adicional aos delatores já premiados a ideia de que o "esquema na Petrobras repetiu o do mensalão". Um nada tem a ver com o outro. Na Petrobras, o dinheiro manipulado estava embutido no custo de obras e de serviços ou bens como sondas. No mensalão, os meios envolvidos foram banco e publicidade.

No caso pessoal de Dirceu, chama atenção a disparidade entre as toneladas de atribuições que o procurador Santos Lima lhe despeja e a sua espera quase passiva, em casa, pelos emissários da Lava Jato. Quem se soubesse autor de tantos e tão graves atos ilegais, e da gana de é que alvo, saberia também que o esperava uma condenação esmagadora. José Dirceu teve farta oportunidade de fugir. Com a experiência de quem entrou e viveu no Brasil da ditadura com rosto e nome mudados, e levou vida tranquila por anos, poderia evaporar por aí sem dificuldade.

José Dirceu ficou, à espera. Não quis fugir. Isto tem um significado. Não há como deixar de tê-lo. As suposições a respeito podem variar, sobretudo ao compasso das posições políticas, mas só o próprio Dirceu mostrará qual é. Janio de Freitas - Colunista da Folha

Multiplus tem lucro 36,5% maior no segundo trimestre



A Multiplus, empresa de programas de fidelidade controlada pela companhia aérea TAM, registrou no segundo trimestre deste ano lucro líquido de R$ 109,3 milhões, valor 36,5% maior que o apurado em igual período de 2014. Na mesma base de comparação, a receita líquida avançou 34,3%, a R$ 560,6 milhões.

A empresa teve entre abril e junho deste ano um faturamento com venda de pontos de R$ 633,4 milhões, 34,2% mais que um ano atrás.

O total de participantes cresceu 13,5% no trimestre, a 13,2 milhões de clientes ativos, enquanto o número de pontos emitidos aumentou 8%, para 21,7 bilhões. Já os pontos resgatados cresceram 19,4%, atingindo 19,1 bilhões.Valor Econômico




Exportação de carne frango do Brasil registra recorde em julho


As exportações brasileiras de carne de frango bateram recorde em julho, superando a marca registrada no mês anterior, com o câmbio favorecendo os negócios, informou a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) nesta segunda-feira.

Foram exportadas 447,2 mil toneladas de carne de frango durante o mês de julho, superando em 52 mil toneladas o total de 395 mil toneladas obtidas no sexto mês deste ano --um crescimento de 13 por cento. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o aumento foi de 17,3 por cento.

Em receita em reais, a associação registrou outra marca histórica: 2,488 bilhões, desempenho 42,4 por cento superior ao registrado no mesmo mês de 2014, com as vendas sendo favorecidas pelo dólar mais forte.

Unidas tem lucro 21,8% maior no segundo trimestre


A locadora de veículos Unidas registrou lucro líquido de R$ 7,75 milhões entre abril e junho deste ano, valor 21,82% maior que o apurado em igual período de 2014.

Na mesma base de comparação, a receita de venda de bens e serviços aumentou 19,63%, para R$ 19,63 milhões, e os custos cresceram 24,26%, para R$ 213,085 milhões.Segundo relatório da administração, excluindo-se o efeito líquido dos Impostos Diferidos, o lucro líquido da companhia no segundo trimestre teria sido de R$ 11,7 milhões, aumento de 42,7% ante um ano antes.

A receita líquida dos negócios de locação avançou 7,3%, para R$ 145,4 milhões. Já a receita líquida da venda de seminovos subiu 39,8%, para R$ 138,4 milhões.
A Unidas abriu duas lojas de franquia de seminovos e 15 lojas de franquia de locação, passando assim a 221 pontos de venda no fim de junho.

A frota total da Unidas, no final do segundo trimestre, atingiu 41.640 veículos, representando um crescimento de 2.682 carros, ou 6,9%, em relação à posição no final de 30 de junho de 2014, devido a um aumento de 8,9% na frota operacional.

O investimento líquido em frota feito entre abril e junho ficou em R$ 7,8 milhões, inferior em 91,7% ao valor líquido de R$ 94,4 milhões investido no segundo trimestre de 2014.Valor Economico


Odebrecht Óleo e Gás assina financiamento para construção do FPSO de Libra


A Odebrecht Óleo e Gás e a Teekay Offshore Partners formalizaram, na última sexta-feira, o contrato de financiamento com bancos internacionais para a construção do primeiro FPSO do Bloco de Libra, chamado de FPSO Pioneiro de Libra. O acordo financeiro, que alcançou a cifra de US$ 803,7  será de Longo Prazo na modalidade Limited Recourse Project Finance, com prazo de amortização de 10 anos, contado a partir do início da operação comercial.

- O FPSO Pioneiro de Libra é um marco para a produção de petróleo no Brasil e temos orgulho de contribuir para esse projeto com nossa capacidade técnica e financeira. Considerando o cenário de crédito da economia mundial, a obtenção deste financiamento reforça nosso forte relacionamento com instituições bancárias relevantes, construído com base em nosso histórico, disponibilidade de garantias e liquidez - afirma Rogério Ibrahim, diretor financeiro da Odebrecht Óleo e Gás.

Vendas de imóveis para brasileiros na Flórida crescem 26,5% no semestre


Os rumos da economia nacional e a alta do dólar não alteraram o entusiasmo de brasileiros que procuram imóveis para investir ou morar na Flórida (EUA). É o que aponta levantamento da imobiliária paulistana Lello.

No primeiro semestre deste ano, segundo a empresa, houve aumento de 26,5% no número de imóveis vendidos para brasileiros no famoso estado norte-americano, em relação ao mesmo período de 2014.
O crescimento maior foi observado em Orlando: 38% no período. Já em Miami houve incremento de 15% nas vendas para brasileiros nos seis primeiros meses de 2015. A procura por imóveis nas duas cidades cresceu 22% na comparação entre o primeiro semestre deste ano e o de 2014.

Ainda segundo a Lello, 80% dos brasileiros que compram imóveis na Flórida pagam o valor à vista, e 20% usam créditos imobiliários nos EUA. O valor médio dos empreendimentos comercializados para brasileiros é de US$ 450 mil em Miami e R$ 250 mil em Orlando. Informações do Monitor Digital

Vendas de material de construção cresce


As vendas de material de construção cresceram 7% e 8%, respectivamente, nas regiões Nordeste e Centro-oeste e 2% no Sudeste no mês de julho. Já o Norte e o Sul apresentaram retração de 9% e 7%. As lojas médias tiveram um ligeiro crescimento de 2% no mês, enquanto as grandes retraíram 2%. Os médios estabelecimentos apresentaram estabilidade no período.

Os dados são do estudo mensal realizado pelo Instituto de Pesquisas da Anamaco com o apoio da Abrafati, Instituto Crisotila Brasil, Anfacer e Siamfesp. O levantamento ouviu 530 lojistas das cinco regiões do país entre os dias 28 a 31 de julho e a margem de erro é de 4,3%. Estadão Conteúdo

Atividade industrial do Brasil cresceu em julho



O índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial do Brasil subiu para 47,2 pontos em julho, de 46,5 em junho, atingindo o maior nível em cinco meses, segundo dados sazonalmente ajustados da pesquisa da Markit. Leituras abaixo de 50 indicam contração da atividade, enquanto valores acima dessa marca apontam expansão.

Segundo a Markit, os volumes de novos pedidos e produção da indústria brasileira continuaram caindo em julho, embora o ritmo de piora tenha diminuído em relação a junho. O mesmo aconteceu com as compras de insumos e o corte de funcionários. Já as altas nos custos de insumo e nos preços de vendas arrefeceram. A quantidade de novos pedidos para exportação mostrou sinais de melhora, com o índice aumentando para um valor que ficou bem perto da marca de 50 pontos.

“A recessão no setor industrial do Brasil mostrou sinais de moderação em julho, com os volumes de produção e de novos pedidos caindo com taxas mais tênues. , diz em nota a economista da Markit Pollyana de Lima. Estadão Conteúdo

Balança comercial tem superávit de US$ 2,3 bi em julho


 A balança comercial brasileira registrou em julho um superávit de US$ 2,379 bilhões. No mês passado, as vendas ao exterior somaram US$ 18,526 bilhões e as compras de outros países totalizaram US$ 16,147 bilhões. O resultado é o maior desde 2012, quando atingiu US$ 2,863 bilhões. Em julho do ano passado, a balança teve um superávit de US$ 1,563 bilhão.

Com isso, a balança nos primeiros sete meses de 2015 acumula superávit de US$ 4,599 bilhões. As exportações somaram US$ 112,854 bilhões de janeiro a julho e as importações totalizaram US$ 108,255 bilhões. No ano passado, o período registrou um déficit de US$ 952 milhões.

Na quinta semana de julho (27 a 31), a balança comercial teve um superávit de US$ 518 milhões, com exportações de US$ 3,875 bilhões e importações de US$ 3,357 bilhões. Estadão Conteúdo

Caixa lança linha de crédito imobiliário para Pessoa Jurídica



A Caixa Econômica Federal lançou linha de crédito imobiliário, com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), para beneficiar construtoras e incorporadoras que produzem empreendimentos com unidades residenciais de até R$ 300 mil. O financiamento é de até 80% do valor da obra, limitado a 50% do valor total de vendas, com taxas de juros a partir de 8,5% ao ano
Segundo o vice-presidente de Habitação da Caixa, Teotônio Rezende, o montante disponibilizado será no valor total de R$ 1 bilhão, direcionado a empresas da construção civil que possuam empreendimentos destinados a atender clientes de média renda.

- O lançamento da linha reforça o foco da Caixa na habitação voltada para as operações com recursos do FGTS e do Programa Minha Casa Minha Vida - afirma.

A Caixa disponibilizou R$ 4 bilhões para a linha de financiamento imobiliário pró-cotista, que destina recursos financeiros para a concessão de financiamentos de imóveis residenciais situados em áreas urbanas, exclusivamente para trabalhador titular de conta vinculada do FGTS. A linha de crédito financia até 85% de imóveis de até R$ 400 mil, pelo prazo máximo de 360 meses. As taxas de juros efetivas variam entre 7,85% e 8,85% a.a. Estadão Conteúdo

Venda de veículos cresce 6,9% em julho ante junho, aponta Fenabrave


Números divulgados hoje pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave, que congrega 8 mil concessionárias em todo o país) mostram que as vendas de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, como carretinhas para transporte) apresentaram alta de 6,92% em julho na comparação com o mês anterior: foram emplacadas 352.423 unidades em julho, contra 329.629 em junho.

Nos sete primeiros meses do ano, foram emplacadas 2.405.467 unidades, contra 2.928.868 no mesmo período de 2014.

Os números da Fenabrave mostram também que o segmento de automóveis e comerciais leves cresceu 7,23% em julho sobre junho. Foram emplacadas 219.410 unidades, contra 204.613 em junho. Na comparação com julho de 2014, o resultado aponta uma baixa de 21,58%. No acumulado do ano, esse segmento caiu 20,03%. Segundo a entidade, foram comercializadas 1.489.243 unidades de janeiro a julho de 2015, contra 1.862.358 no mesmo período de 2014.

As vendas de veículos em todos os segmentos - automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros - registraram alta de 6,92% em julho na comparação com o mês anterior. De acordo com números divulgados nesta segunda-feira, 03, pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), no mês passado foram emplacadas 352.423 unidades contra 329.629 unidades em junho.Estadão Conteúdo

Reservas do país subiram US$643 milhões na sexta-feira


As reservas internacionais brasileiras subiram US$ 643 milhões na sexta-feira, informou há pouco o Banco Central. Pelo conceito de liquidez internacional, as reservas passaram de US$ 370,109 bilhões, na quinta-feira (30); para US$ 370,752 bilhões, na sexta-feira (31). O resultado reflete, entre outros pontos, a oscilação do valor de mercado dos ativos que compõem as reservas, como os títulos da dívida dos Estados Unidos e de outros países.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

FHC é dono de agropecuária dentro da cidade de São Paulo


FHC tem agropecuária na zona urbana e em endereço no mínimo estranho em Osasco

Se, em vez de FHC, fosse um petista o dono da empresa agropecuária em Osasco, cidade sem zona rural e onde nenhum sócio reside,  e ainda criasse gado...choveriam ilações nas três revistas de maior circulação
 O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é sócio de seus três filhos na empresa Goytacazes Participações Ltda, cujas atividades registradas na Junta Comercial de São Paulo são serviços de agronomia e de consultoria às atividades agrícolas e pecuárias.No Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, na Receita Federal, a empresa tem como atividade principal o cultivo de cana-de-açúcar... Continue lendo aqui

Mais de 8 mil unidades do "Minha Casa, Minha Vida" devem ser entregues no Espírito Santo



Nos próximos meses, 8.165 residências deverão ser entregues no Espírito Santo pelo programa do Governo Federal "Minha Casa, Minha Vida". Nesta sexta-feira (31), a presidente Dilma Rousseff (PT) entregou 2.932 chaves, no Rio de Janeiro, e garantiu que o governo não pretende acabar com o projeto.

Dentre os empreendimentos na lista de entrega aos capixabas estão o Village Atlântico, Village Cricaré, Village Litorâneo, Village Guriri e Village das Flores, no município de São Mateus. E o Residencial Novo Tempo, no município de Jaguaré. No entanto, não há data específica para que isso aconteça.

Atualmente, de acordo com a Caixa, existem existem 22 empreendimentos em construção no Estado, destinados às famílias com renda familiar até R$ 1,6 mil, que é a Faixa 1 do programa. Essas obras estão localizadas em Vila Velha, Serra, Cariacica, Aracruz, Linhares, Colatina, Cachoeiro de Itapemirim, São Mateus e Jaguaré.

Em todo o Estado o "Minha Casa, Minha Vida" entregou mais de 21 mil unidades nas três faixas do programa, beneficiando cerca de 80 mil pessoas. Na Faixa 1 foram entregues 4.776 beneficiando mais de 19 mil capixabas.

FHC, sempre uma má ideia


De repente se tornou um viral a informação de que o ex-presidente Lula (PT) estava tentando se aproximar do também ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para uma espécie de conciliação política. Seria digamos um ensaio político e que, de alguma maneira, poderia sinalizar uma trégua entre Governo e oposição.

A ideia, proposta inclusive por referências como o Senador Cristovam Buarque (PDT) e o jornalista Ricardo Kotscho, seria a de que um diálogo franco e cortês entre o principal líder petista com o mentor do PSDB pudesse acalmar os já bastante exaltados ânimos dos agentes da cena política nacional e aplacar, por conseguinte, a crise política que envolve e constrange o Governo Federal.

Engano escancarado! Nada, além disso! A ideia não tem cabimento, sentido ou futuro. Fernando Henrique Cardoso, o vaidoso ex-presidente dos tucanos foi a maior fraude eleitoral do Brasil democratizado e, a bem da verdade, confesso que me é particularmente cansativo falar dos oito anos de suplício do seu governo.

A fúria de Eduardo Cunha... contra o povo que votou em Dilma



Planalto enfrenta fúria de Eduardo Cunha, que promete colocar polêmicas em pauta nos próximos dias

Os atritos de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) com Govemo Federal e até  curioso rompimento - Todo mundo sabe que Cunha  não era aliado.Apenas declarou sua posição real.- anunciado no fim do semestre legislativo devem refletir na pauta da Câmara dos Deputados nos próximos meses. Cunha  prepara  que vem sendo chamado de "pauta-bomba" para, junto com a oposição, desgastar  a gestão de Dilma

Depois que ele foi acusado de cobrar propina de US$ 5 milhões para viabilizar contratos com a Petrobras, Cunha começou a disparar uma verdadeira metralhadora contra o governo. Desengavetou Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) e despachou 12 pedidos de impeachment da presidente.

Já nesta primeira semana de agosto, Cunha pretende votar as contas da Presidência da República pendentes de votação pelo Congresso, desde a gestão de Fernando Collor de Mello, em 1992.O objetivo do peemedebista é abrir o caminho para as contas de 2014 de Dilma, em análise no Tribunal de Contas da União (TCU).